Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Vacinação contra a Covid-19: saiba como comprovar comorbidades

Imunização neste momento é focada em pessoas entre 55 e 59 anos de idade

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 12 Maio 2021, 19h12 - Publicado em 12 Maio 2021, 19h08

A campanha de vacinação contra a Covid-19 imuniza pessoas com idade entre 55 e 59 anos de idade no estado de São Paulo com comorbidades. Até o fim da semana, a campanha inclui também 50 aos 54 anos e até o dia 21 de maio, começa a campanha para pessoas com idade entre 45 e 49 anos, todos com comorbidades.

Mas como comprovar o pertencimento aos grupos prioritários? Primeiro, é preciso verificar as doenças que dão direito à vacina neste momento (confira a lista completa ao final). Mas, além de ser portador de alguma das condições listadas, é preciso também levar alguns documentos para o momento da imunização.

COMO COMPROVAR GRUPO PRIORITÁRIO

Cidadãos com comorbidades

Na hora da vacinação levar laudos médicos, exames ou prescrições médicas que comprovem a condição. Os itens devem ter sido emitidos há no máximo dois anos.

O mesmo vale para pacientes em terapia renal substitutiva e transplantados, que desde o dia 10, podem ser vacinados, desde que tenham ao menos 18 anos de idade.

Continua após a publicidade

Gestantes e puérperas

Gestantes a partir de 18 anos com comorbidades. Puérperas: a partir dos 18 anos, até 45 dias após o parto. É previso comprovar a gestação, por meio de laudo médico ou pré-natal. Para puérperas, apresentar comprovante de nascimento do filho. Levar comprovante de comorbidade.

Deficiência permanente

Levar o comprovante do Benefício de Prestação Continuada (BPC).

LISTA DE COMORBIDADES

• Doenças Cardiovasculares
• Insuficiência cardíaca (IC)
• Cor-pulmonale (alteração no ventrículo direito) e Hipertensão pulmonar
• Cardiopatia hipertensiva
• Síndromes coronarianas
• Valvopatias
• Miocardiopatias e Pericardiopatias
• Doença da Aorta, dos Grandes Vasos e Fístulas arteriovenosas
• Arritmias cardíacas
• Cardiopatias congênitas no adulto
• Próteses valvares e dispositivos cardíacos implantados
• Diabetes mellitus
• Pneumopatias crônicas graves
• Hipertensão arterial resistente (HAR)
• Hipertensão arterial – estágio 3
• Hipertensão arterial – estágios 1 e 2 com lesão e órgão-alvo e/ou comorbidade
• Doença Cerebrovascular
• Doença renal crônica
• Imunossuprimidos (transplantados; pessoas vivendo com HIV; doenças reumáticas em uso de corticoides; pessoas com câncer)
• Anemia falciforme e talassemia maior (hemoglobinopatias graves)
• Obesidade mórbida
• Cirrose hepática

Continua após a publicidade
Publicidade