Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Butantan deve produzir CoronaVac totalmente no Brasil em dezembro

Produção industrial na nova fábrica deve começar apenas em janeiro de 2022

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 23 fev 2021, 19h28 - Publicado em 23 fev 2021, 19h27

Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, que completa 120 anos nesta terça-feira (23), anunciou que as doses da CoronaVac que serão integralmente produzidas no Brasil só devem sair da nova fábrica da instituição em dezembro. Durante a mesma coletiva o governo paulista anunciou que vai enviar mais 3,9 milhões de doses para o Ministério da Saúde até domingo (28).

“Temos funcionários trabalhando em jornadas de 10 horas por dia para colocar a fábrica em conclusão. Até o mês de outubro, estará totalmente concluída e em outubro, novembro e dezembro as instalações dos equipamentos serão feitas. Ainda em dezembro deste ano, teremos a primeira dose da vacina do Butantan produzida 100% no Brasil e a partir de janeiro, em escala evolutiva para produção industrial”, disse o governador João Doria (PSDB).

Dimas Covas comentou o pedido do Ministério da Saúde de mais 30 milhões de doses após a entrega de 100 milhões de doses até agosto. “Temos todas as condições e até mais 50 milhões, se for necessário”, afirmou o médico.

Nesta terça serão enviadas 1,2 milhões de doses e na quarta-feira (24), mais 900 000 frascos, entre outros despaches, totalizando 3,9 milhões até domingo. De 5 de fevereiro a 5 de março, o governo paulista estima entregar 5,6 milhões de doses ao Programa Nacional de Imunizações (PNI).

Vacinação em São Paulo

O estado de São Paulo ultrapassou a marca de 2 milhões de vacinas aplicadas contra a Covid-19, às 18h17 do último domingo (21). Na manhã desta terça-feira, o Vacinômetro apontava 2 070 040 imunizações no estado de São Paulo, sendo 1 665 803 da primeira dose e outras 407 237 para a segunda dose.

Com informações da Agência Brasil

Continua após a publicidade
Publicidade