Hirá Ramen Izakaya (Desde 2015)

Tipos de Bares: Japoneses
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars
Endereço: Rua Fradique Coutinho, 1240 - Vila Madalena - São Paulo - SP ver no mapa
Telefone: (11) 30343832
Horário:
segunda-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 23:00
terça-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 23:00
quarta-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 23:00
quinta-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 23:00
sexta-feira
12:00 - 15:00 - 19:00 - 00:00
sábado
12:30 - 16:00 - 19:00 - 00:00
domingo
12:30 - 16:00 - 19:00 - 23:00
Nos feriados das 12h30 às 16h
payment

Formas de pagamento

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, Diners e American Express
Cartões de débito: Visa Electron, Rede Shop e Maestro

check_circle

Informações adicionais

Lugares/Capacidade total (60)

Resenha por Saulo Yassuda e Gabrielli Menezes

As visitas do chef e dono Daniel Parolin Hirata ao Japão estão cada vez mais frequentes. Depois de aperfeiçoar a receita do lámen (R$ 43,00, na versão no caldo com shoyu), ele agora quer turbinar a seleção de petiscos. Uma das boas sugestões, a salada de batata à japonesa (R$ 21,00) traz na vasilha o tubérculo cozido, cebolinha, pedaços de bacon, ovo e maionese. Cabe ao cliente, com um pilão, amassar e misturar tudo. Para quem não tem medo de texturas viscosas, o yamakake (R$ 35,00) é composto de cará ralado coberto de atum cru picado, soja e acelga fermentados, ovas de peixe, cebolinha, cogumelo em conserva, shissô e gema de ovo de codorna.

Informações checadas entre julho e setembro de 2018.

    ORIENTE INCREMENTADO

    Os lamens continuam muito bem, obrigado, no Hirá Ramen Izakaya, um dos melhores bares japoneses da cidade. Nessas sopas de macarrão oriental, o chef e proprietário Daniel Parolin Hirata não tem mexido. Já na linha de petiscos, ele vem, pouco a pouco, adicionando novos moradores. Um deles é para quem não tem problema com viscosidade. O yamakake (R$ 35,00), com base de cará ralado, ganha a cobertura de atum cru em pedacinhos, soja e acelga fermentadas, ovas de salmão, cebolinha, cogumelo em conserva, shissô e gema de ovo de codorna. Chamado de tsukune, o hamburgão de frango grelhado e caramelado no tarê com uma gema em cima sai por R$ 23,00. Outra sugestão recente, a salada de batata (R$ 21,00) deve ser misturada à mesa com cebolinha, bacon, ovo e maionese.

    (por Saulo Yassuda)

    Informações checadas em outubro de 2018.

    Comer e beber

    • 2018 - Indicado

      Izakaya Comer & Beber .

      As visitas do chef e dono Daniel Parolin Hirata ao Japão estão cada vez mais frequentes. Depois de aperfeiçoar a receita do lámen (R$ 43,00, na versão no caldo com shoyu), ele agora quer turbinar a seleção de petiscos. Uma das boas sugestões, a salada de batata à japonesa (R$ 21,00) traz na vasilha o tubérculo cozido, cebolinha, pedaços de bacon, ovo e maionese. Cabe ao cliente, com um pilão, amassar e misturar tudo. Para quem não tem medo de texturas viscosas, o yamakake (R$ 35,00) é composto de cará ralado coberto de atum cru picado, soja e acelga fermentados, ovas de peixe, cebolinha, cogumelo em conserva, shissô e gema de ovo de codorna.

      Saulo Yassuda

    • 2017 - Indicado

      Izakaya Comer & Beber .

      Basta um gole do caldo de galinha e porco temperado com shoyu do lámen (R$ 41,00) para se dar conta de que se trata de um dos melhores exemplares do prato na cidade. Na tigela da sopa são mergulhados macarrão elástico, barriga de porco, acelga chinesa, alga nori, meio ovo cozido cremoso e massa de peixe. Responsável pela receita, o chef Daniel Parolin Hirata também prepara ótimos petiscos, como o sashimi, que pode ser de buri (R$ 40,00), e o hirá bun (R$ 35,00 a dupla), pão chinês no vapor recheado de porco, pepino, molho de missô e pimenta e aïoli de leite. Outra atração, a carta de drinques foi renovada com pedidas como o black pepper (uísque, xarope de pimenta-do-reino, limão, suco e bitter de grapefruit; R$ 29,00).  (Preços checados em setembro de 2017).

      Saulo Yassuda e Fabio Galib

    • 2016 - Vencedor

      Bares izakaya Comer & Beber .

      O chef Daniel Parolin Hirata é obstinado. Petiscos e lámens feitos por ele alcançavam boas notas em seu boteco japonês. Insatisfeito, o cozinheiro queria mais. Cansado de ser só mais um fio de macarrão no meio desse tigelão fumegante que se tornou a cidade (pois é, o lámen virou modinha), partiu, em junho, para o Japão. Nos dezessete dias em que transitou entre Tóquio e Kanagawa, teve aulas com mestres, provou mais de cinquenta bowls e trouxe 7 quilos a mais na cintura. De volta, transformou a teoria em prática. O caldo onde a massa mergulha, de galinha e porco, cresceu em sabor e complexidade. Uma colherada basta para perturbar a língua — no bom sentido. (Preços checados em setembro/outubro de 2016.)

      Saulo Yassuda e Fábio Galib

    Comentários
    Deixe um comentário

    Olá, ( log out )

    * A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

    Conectando a %s