Dona Lucinha (Desde 1992)

Tipos de Restaurantes: Brasileiros
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars
Endereço: Avenida Chibarás, 399 - Moema - São Paulo - SP ver no mapa
Telefone: (11) 50512050
Horário:
segunda-feira
12:00 - 15:00
terça-feira
12:00 - 15:00
quarta-feira
12:00 - 15:00
quinta-feira
12:00 - 15:00
sexta-feira
12:00 - 15:00
sábado
12:00 - 16:00
domingo
12:00 - 16:00
Feriados, 12h às 16h. Abre no jantar com reserva antecipada para grupos.
monetization_on

Faixa de preço

De R$0,00 a R$110,00

payment

Formas de pagamento

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, Diners e American Express
Cartões de débito: Visa Electron, Rede Shop e Maestro

check_circle

Informações adicionais

Estacionamento/Valet (R$ 15,00), Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (95), Comida (couvert) (Gratuito) (1), Levar vinhos (permite) (R$ 20,00)

(1)Cortesia

Resenha por Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

Difícil não se deixar cativar pela simpatia e hospitalidade da chef Elzinha Nunes, filha da fundadora da casa mineira. Enquanto a clientela se serve do bufê (R$ 49,00 de segunda a sexta; R$ 62,90 nos sábados, domingos e feriados), ela chega de mansinho e sugere uma prova da linguiça feita na casa com molho de rapadura. Outras receitas “da fazenda” são costelinha suína frita, canjiquinha e até uma trivial carne moída. O balcão de sobremesas, incluso no preço, guarda um doce de leite clarinho e pouco açucarado para comer com queijo do Serro (MG).

Informações checadas entre julho e setembro de 2018.

    Comer e beber

    • 2018 - Participante

      Restaurantes Brasileiros Comer & Beber .

      Difícil não se deixar cativar pela simpatia e hospitalidade da chef Elzinha Nunes, filha da fundadora da casa mineira. Enquanto a clientela se serve do bufê (R$ 49,00 de segunda a sexta; R$ 62,90 nos sábados, domingos e feriados), ela chega de mansinho e sugere uma prova da linguiça feita na casa com molho de rapadura. Outras receitas “da fazenda” são costelinha suína frita, canjiquinha e até uma trivial carne moída. O balcão de sobremesas, incluso no preço, guarda um doce de leite clarinho e pouco açucarado para comer com queijo do Serro (MG). (Informações checadas entre julho e setembro de 2018).

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2017 - Participante

      Restaurantes brasileiros Comer & Beber .

      A casa é tocada pela chef Elzinha Nunes, filha da Dona Lucinha, fundadora do restaurante em Serro (MG). O endereço passou a funcionar apenas no almoço, quando há alguns pratos à la carte. Mas é o bufê a maneira mais completa de conhecer a comida do lugar (R$ 49,00 de segunda a sexta; R$ 62,90 nos sábados, domingos e feriados). Costumam surgir nos aparadores a vaca atolada, o macio lombo de panela e a saborosa linguiça de pernil feita na casa ao molho de rapadura. Há ainda o torresmo, mais crocante e quentinho que em visitas anteriores. Na mesa de sobremesas, o doce de cidra faz uma boa combinação com o queijo meia-cura. (Preços checados em setembro/outubro de 2017.)

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2016 - Participante

      Restaurantes brasileiros Comer & Beber .

      É a chef e proprietária Elzinha Nunes quem costuma recepcionar a clientela nos fins de semana e sugerir: “Prove a linguiça grelhada”. Disponível no bufê de almoço (R$ 49,00 entre terça e sexta; R$ 62,90 nos sábados, domingos e feriados), o embutido é servido com molho de rapadura. Uma delícia. Na seção chamada cozinha da fazenda, surgem hortaliças como jiló para guarnecer o frango com quiabo e a canjiquinha. A ala de cozinha tropeira pode trazer carne de panela bem temperada e moela, vez ou outra salgada demais. Incluída no preço, a mesa de sobremesas é um convite a enfiar o pé na jaca com ambrosia, doce de batata-doce-roxa...À noite, quando o movimento é mais tranquilo, há apenas opções à la carte. (Preços checados em setembro/outubro de 2016.)

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2015 - Participante

      Restaurantes brasileiros Comer & Beber .

      Nada mais mineiro que receber os convivas com apetitosos e quentinhos pães de queijo. E assim é feito no Dona Lucinha, endereço fundado no município de Serro, em Minas Gerais, pela matriarca Maria Lúcia Clementino Nunes, de 84 anos. A unidade paulistana fica a cargo de sua filha, Elzinha Nunes. A chef supervisiona a cozinha, de onde saem pratos à la carte, como o feijão-tropeiro (R$ 83,00), e receitas típicas do bufê de almoço (R$ 49,00 de terça a sexta; R$ 62,90 aos sábados, domingos e feriados). Enfileiram-se nos aparadores o tenro lombo de panela, a saborosa canjiquinha, a linguiça grelhada ao molho de rapadura e a couve-manteiga em fios que levam só um “susto” no fogão. Decepcionam a rabada meio morna e o torresmo que facilmente fica murcho. Na mesa de sobremesas, dispense o arroz-doce quase aguado e prefira a compota de mamão com abacaxi ou o doce de leite bem clarinho para ser devorado sobre uma fatia de queijo. (Preços checados em setembro/outubro de 2015).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2014 - Participante

      Restaurantes brasileiros Comer & Beber .

      Originário de Minas Gerais, leva o nome desua fundadora, Maria Lúcia Clementino Nunes,de 83 anos, e é tocado pela flha dela,Elzinha Nunes. Endereço de muitas glóriasno passado, há algum tempo vem perdendoo fôlego. O que leva o público, em especialde turistas estrangeiros, a seu salão de fachadacolonial é uma ampla amostra da culináriamineira servida em bufê no almoço (R$47,00 de terça a sexta; R$ 59,00 aos sábados,domingos e feriados). Não merecem atençãoos torresmos de poucos encantos. Valem realmentea pena: a batata-doce frita, o angusem sal como no tempo dos escravos, o quiaborefogado, a canjiquinha com costela deporco, a vaca atolada... A mesa de sobremesasreúne doces caipiras como abóbora, mamãoe curau. Antes de iniciar os trabalhos,sirva-se de uma dose de cachaça colocadanum pequeno tonel e oferecida de cortesia.À noite, as opções são escolhidas diretamenteno menu. Uma delas é tutu de feijão decreme bem denso (R$ 76,00, para dois). (Preços checados em setembro/outubro de 2014).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2013 - Participante

      Restaurantes brasileiros Comer & Beber .

      A fachada e o salão imitam um casarão colonial. É nesse cenário de antigamente que podem ser provados pratos trazidos diretamente da cidade mineira do Serro, aqui preparados sob a supervisão de Elzinha Nunes. Ela é filha da fundadora do restaurante e autora das receitas, Maria Lúcia Clementino Nunes, de 82 anos. No almoço, as pedidas são apresentadas em bufê (R$ 47,00 de terça a sexta; R$ 56,00 aos sábados, domingos e feriados), no qual aparecem pratos como o feijão-tropeiro e a abóbora-moranga. São reservadas para o jantar as sugestões à la carte, entre elas o frango com quiabo (R$ 78,00, para dois) na companhia de arroz, couve refogada e angu sem sal, como na época dos escravos. Nos dois horários, os clientes são recebidos com uma porção de pão de queijo. À noite, para arrematar, há sobremesas como a colherada de minas (R$ 24,00), composição de doces de batata-doce-roxa, de leite cremoso e de cidra, sempre exuberantes em açúcar. (Preços checados em setembro/outubro de 2013).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2012 - Participante

      Restaurantes brasileiros Comer & Beber .

      Nascido na cidade mineira do Serro, o Dona Lucinha chegou a São Paulo duas décadas atrás. No cardápio do restaurante encontram-se receitas reunidas pela proprietária, a matriarca Maria Lúcia Clementino Nunes, a dona Lucinha, e aqui executadas sob a supervisão da filha dela, Elzinha. Apresentadas em bufê na hora do almoço, incluem vaca atolada (costela bovina cozida com mandioca), frango com quiabo e canjiquinha (milho cozido com costelinha de porco), arroz, couve e tutu de feijão, entre outras opções. No jantar, há uma extensa lista de sugestões à la carte e em porção para dois paladares. O leitão à pururuca e o frango com ora-pro-nóbis estão entre elas. Compotas como a de mamão e de abóbora compõem o colherada de minas, seleção de doces para a sobremesa. Não deixe de consultar a carta de cachaças mineiras, na qual aparece a Biquinha, produzida em Salinas.

      Veja SP

    • 2011 - Participante

      Restaurantes brasileiros Comer & Beber .

      Estabelecimento faz parte da edição Comer & Beber 2011/2012

      Veja SP

    • 2010 - Participante

      Restaurantes brasileiros Comer & Beber .

      Estabelecimento faz parte da edição Comer & Beber 2010/2011

      Veja SP

    Comentários
    Deixe um comentário

    Olá,

    * A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

    Conectando a %s