Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Chocolat du Jour – Cerqueira César

(Desde 1987)

Tipos de Comidinhas: Chocolates

VejaSP:

Endereço: Rua Haddock Lobo, 1421 - Pateo Jardins - Cerqueira César - São Paulo - SP ver no mapa

Telefone: (11) 31682720

Horário:

segunda-feira 10:00 - 20:00

terça-feira 10:00 - 20:00

quarta-feira 10:00 - 20:00

quinta-feira 10:00 - 20:00

sexta-feira 10:00 - 20:00

sábado 10:00 - 20:00

domingo 10:00 - 18:00

Informações adicionais: Entrega em domicílio, Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (8)

Resenha por Gabriela Del' Moro

Houve um tempo em que só dava Chocolat du Jour. Foram nove vitórias consecutivas neste guia, entre 2001 e 2009. De lá para cá, surgiram concorrentes de peso e a marca não venceu mais — ainda que tivesse se mantido na elite chocolateira paulistana. De volta ao topo, a marca, fundada por Claudia Landmann, em 1987, se mostra ainda mais aprimorada. Há dois anos, a matéria-prima passou a vir toda de uma fazenda própria em Pratigi, no sul da Bahia. Assim, o controle do processo se tornou total, desde a plantação até as prateleiras das lojas — é o que os especialistas chamam de bean to bar. O resultado primoroso é visível nas brilhantes barras (R$ 27,50, 80 gramas), com gradações que variam de 53% a 70% de cacau. As trufas (R$ 57,00 a caixa de meia dúzia) são outras preciosidades da loja. A chamada champanhe traz duas ganaches — de espumante e de chocolate ao leite — boleadas juntas e polvilhadas de açúcar de confeiteiro. Outra ótima versão é a de chocolate 70% envolta em nibs de cacau, pedacinhos da semente do fruto que dão crocância e amargor à gulodice. É difícil resistir a uma só.

Informações checadas entre outubro e novembro de 2020.

    Houve um tempo em que só dava Chocolat du Jour. Foram nove vitórias consecutivas neste guia, entre 2001 e 2009. De lá para cá, surgiram concorrentes de peso e a marca não venceu mais — ainda que tivesse se mantido na elite chocolateira paulistana. De volta ao topo, a marca, fundada por Claudia Landmann, em 1987, se mostra ainda mais aprimorada. Há dois anos, a matéria-prima passou a vir toda de uma fazenda própria em Pratigi, no sul da Bahia. Assim, o controle do processo se tornou total, desde a plantação até as prateleiras das lojas — é o que os especialistas chamam de bean to bar. O resultado primoroso é visível nas brilhantes barras (R$ 27,50, 80 gramas), com gradações que variam de 53% a 70% de cacau. As trufas (R$ 57,00 a caixa de meia dúzia) são outras preciosidades da loja. A chamada champanhe traz duas ganaches — de espumante e de chocolate ao leite — boleadas juntas e polvilhadas de açúcar de confeiteiro. Outra ótima versão é a de chocolate 70% envolta em nibs de cacau, pedacinhos da semente do fruto que dão crocância e amargor à gulodice. É difícil resistir a uma só.

    Informações checadas entre outubro e novembro de 2020.