A Figueira Rubaiyat (Desde 2001)

Tipos de Restaurantes: Cozinha variada
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars
Endereço: Rua Haddock Lobo, 1738 - Jardim Paulista - São Paulo - SP ver no mapa
Telefone: (11) 30871399
Horário:
segunda-feira
12:00 - 16:00 - 19:00 - 23:00
terça-feira
12:00 - 16:00 - 19:00 - 23:00
quarta-feira
12:00 - 16:00 - 19:00 - 23:00
quinta-feira
12:00 - 16:00 - 19:00 - 23:00
sexta-feira
12:00 - 16:00 - 19:00 - 00:30
sábado
12:00 - 00:30
domingo
12:00 - 23:00
payment

Formas de pagamento

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, Diners e American Express
Cartões de débito: Visa Electron, Rede Shop e Maestro

check_circle

Informações adicionais

Estacionamento/Valet (R$ 25,00), Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (350), Comida (couvert) (R$ 18,00), Levar vinhos (permite) (1)

(1)Com restrição

Resenha por Arnaldo Lorençato

Contratado em maio do ano passado para revisar os menus da rede Rubaiyat, o chef espanhol Daniel Redondo (ex-Maní) começou a mudança pelo restaurante de Madri. Só agora o sopro renovador chega a São Paulo. A reformulação foi iniciada no A Figueira Rubaiyat, o endereço mais vistoso do grupo graças à gigantesca árvore centenária da entrada. O cozinheiro, auxiliado por Álvaro Tostes de Alencar, criou sete pratos que já chamam a atenção de quem consulta o cardápio. Faz parte da lista de antepastos o capellini de fios de palmito pupunha fresco num fumegante molho de creme de leite reforçado por queijo grana padano, aspargos verdes e chips de presunto ibérico (R$ 58,00). Servido frio, o canelone de camarão em pedaços recebe a companhia de rúcula selvagem condimentada por vinagrete de cebola-roxa e vinagre de Modena (R$ 56,00). Os pratos principais também têm os pescados como apelo. Confitada, a posta de bacalhau perfeitamente dessalgada recebe os complementos de batata, vinagrete de azeitona e tomate (R$ 148,00). Prima da paella e feita no forno, a fideuà ao açafrão (R$ 162,00) leva macarrão cabelo de  anjo no lugar do arroz. Em linda apresentação, completa-se com camarões médios de ótima textura. Os acréscimos não se resumem às sugestões salgadas. Há novas e caprichadas sobremesas oferecidas no pote, como o tiramisu (R$ 26,00) e a cheesecake com calda de frutas vermelhas (R$ 25,00). No almoço de domingo (13), até as 16h, as mães serão brindadas com uma taça de espumante.

Informações checadas em maio de 2018.

 

    Comer e beber

    • 2017 - Participante

      Restaurantes Variados Comer & Beber .

      O mais bonito dos restaurantes do Grupo Rubaiyat na cidade, que neste ano voltou a pertencer unicamente à família Iglesias, beneficia- se de um cenário único. Suas mesas distribuem- se sob a sombra de uma figueira portentosa e centenária. As pedidas servidas nesse ambiente são preparadas pelo chef potiguar Francisco Gameleira, agora sob a orientação do espanhol Daniel Redondo. Com a carne tenra descolando do osso, a costelinha de porco ao chimichurri (R$ 46,00) vale para a entrada. Na sugestão conhecida como delícia de frutos do mar com rúcula, palmito, melão e manga (R$ 139,00), o mix de lagosta, vieira e camarão poderia permanecer menos tempo no forno para conservar mais frescor. A ótima costelinha de cordeiro com batata assada à provençal (R$ 149,00) vem no ponto justo. Para uma sobremesa deliciosamente brasileira, escale o quindim com um chantili de cachaça divino (R$ 22,00). (Preços checados em setembro de 2017).

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2016 - Participante

      Restaurantes variados Comer & Beber .

      Restaurante-cartão-postal, atrai clientes e mais clientes que querem se sentar sob a sombra de uma gigantesca e centenária fgueira no salão da entrada. No cardápio estão receitas executadas pelo chef potiguar Francisco Gameleira. Logo que se consegue um lugar, chega à mesa o farto couvert (R$ 29,00), que inclui um dos melhores pães de queijo da cidade, além de itens variáveis como salmão ao vinagrete e franguinho morno com cebola assada. Do forno, sai o robalo na companhia de batata ao murro e aspargo (R$ 134,00). Nesta casa, também se provam boas carnes na grelha, entre elas o baby beef marmorizado com fritas sufê (R$ 141,00). (Preços checados em setembro/outubro de 2016.)

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2015 - Participante

      Restaurantes variados Comer & Beber .

      O ambiente-vitrine com uma frondosa e centenária figueira, que se avista à distância, tornou-se um dos pontos turísticos da cidade. Paulistanos e turistas disputam os lugares deste salão não só pela comida, mas para postar na internet fotos da árvore majestosa. Entre um clique e outro, saboreiam-se pratos preparados sob a supervisão do chef potiguar Francisco Gameleira, o Chicão. Embora servido um tantinho engordurado, o palmito empanado e chapeado faz boa combinação com a salada de rúcula selvagem e coalhada fresca (R$ 49,00). Sugestão que fez a fama da casa, o caixote de frutos do mar (R$ 149,50) é um mix de camarão, lula, polvo e vieira assados em forno de alta temperatura oferecidos na companhia de um ótimo arroz cremoso de açafrão. Na linha clássica, o mil-folhas ganha uma variação com doce de leite (R$ 28,00). O sommelier Wagner Perez Elias apresenta a extensa carta de vinhos com competência. (Preços checados em setembro/outubro de 2015.)

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2014 - Participante

      Restaurantes variados Comer & Beber .

      Sobra charme ao belo restaurante montado à sombra de uma figueira centenária e cujas mesas em torno da frondosa árvore estão entre as mais disputadas. Nos fins de semana, a clientela munida de câmeras e celulares não se cansa de fazer fotos. Nesses dias ainda mais intensos, não se surpreenda com um serviço atrapalhado e garçons trazendo pedidos errados à mesa. Da cozinha comandada pelo potiguar Francisco Gameleira, o Chicão, o pincho de polvo, molusco em rodelas feito na panela de ferro com um toque de páprica, é um alento para amenizar a espera no bar. Custa R$ 28,00. Assado no forno a lenha, o robalo vem sequinho por fora e quase cru por dentro na companhia de batatinhas com casca e um delicioso aspargo verde igualmente assado (R$ 103,00). Das carnes, as ótimas baby costeletas de cordeiro (R$ 113,00) reafirmam a excelência do Grupo Rubaiyat quando o assunto é churrasco. Dá direito a uma guarnição, que pode ser a batata suflê. Eterna tentação, o bufê de sobremesas (R$ 28,00) pode ser substituído pela tarte tatin feita com medida justa de açúcar e manteiga (R$ 24,00). (Preços checados em setembro/outubro de 2014.)

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2013 - Participante

      Restaurantes variados Comer & Beber .

      É um restaurante cartão-postal por causa da gigantesca e centenária figueira, cujos galhos se espalham por todo o salão que se avista da rua. É ali que paulistanos e turistas disputam as mesas para desfrutar o agradável cenário. O chef potiguar Francisco Gameleira, o Chicão, elabora receitas como o tucunaré na capa de sal grosso feito no forno a lenha (R$ 102,00). De acompanhamento, recebe palmito assado salpicado de amêndoa crocante e salsinha. Localizado na entrada principal, o bar de ostras é sempre muito tentador. A porção com doze unidades custa R$ 46,00. Completam o cardápio carnes de primeira, como a fraldinha de produção nacional R$ 97,00 e a importada da Austrália (R$ 109,00). (Preços checados em setembro/outubro de 2013).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2012 - Participante

      Restaurantes variados Comer & Beber .

      Com um dos cenários mais bonitos, valorizado por uma majestosa figueira de mais de 100 anos, o restaurante da família Iglesias, agora em pareceria com o fundo espanhol Mercapital, continua entre os melhores endereços de sua especialidade. Ocupe uma das mesas sobre a árvore e comece saboreando o couvert. Em seguida, passe a uma das entradas, caso dos deliciosos huevos revueltos (ovos caipiras mexidos com batata frita e lascas de presunto cru espanhol). Continua formidável o minicaixote marinho, misto de frutos do mar na panela de barro assado em forno de alta temperatura e servido na companhia de tagliatelle ao molho de manteiga e ervas. Das carnes, o bife de chorizo salta da grelha no ponto pedido e recebe a companhia de batata suflê e farofa de ovo. Todas as receitas são preparadas pelo chef potiguar Francisco Gameleira, o Chicão. Notável, a carta de vinhos inclui exemplares como o espanhol tinto Palacios-Remondo La Vendimia 2010.

      Veja SP

    • 2011 - Vencedor

      Restaurantes melhor ambiente Comer & Beber .

      Uma majestosa árvore faz do A Figueira Rubaiyat um cenário singular. Não há como não se encantar com a beleza da figueira centenária, cujos galhos se espalham em várias direções. Próximos a ela ficam os lugares mais disputados do restaurante, eleito o melhor ambiente, categoria que estreia nesta edição. Com uma visão privilegiada do tronco e de parte da copa, a mesa 50 permanece a mais cobiçada pelos clientes desde a inauguração da casa, dez anos atrás. Mas, em qualquer ponto do pátio, protegido pelo teto de vidro montado em estrutura metálica, tem-se a agradável sensação de estar ao ar livre. No almoço, todo o espaço é inundado de luz natural; ao cair da noite, uma iluminação cenográfica transforma por completo a ambientação. Combinam com essa atmosfera os deliciosos pratos de inspiração mediterrânea que compõem o cardápio, renovado pela chef Paola Carosella, do Arturito, e executado pelo potiguar Francisco Gameleira, o Chicão. Comece pela provoleta de queijo de cabra ao aroma de ervas guarnecida de salada de brotos. Em seguida, cai bem o ótimo camarão assado no forno a lenha e servido sobre risotino de queijo mascarpone ao limão-siciliano. A extensa carta de vinhos, organizada pelo sommelier Tony Anderson Costa Araujo, traz exemplares de boa relação qualidade-preço, entre eles o branco Monopole 2010 e o tinto Pazo de Rivas 2008, ambos espanhóis.

      Veja SP

    • 2010 - Indicado

      Restaurantes variados Comer & Beber .

      Neste ano, o proprietário, Belarmino Iglesias, submeteu o cardápio a uma pequena reformulação conduzida por Paola Carosella, eleita a chef do ano nesta edição. A cozinheira propõe agradáveis novidades executadas pelo titular dos fogões, o potiguar Francisco Gameleira, o Chicão. Entre elas, o ótimo couvert inclui agora uma deliciosa focaccia assada na hora. De entrada, há os substanciosos huevos rotos (ovo caipira mexido com fritas e lascas de presunto Pata Negra). Entre os pratos principais, o duo de lula e polvo chega na companhia de salada de abacate e aïoli. Os fãs do caixote marinho (polvo, vieira, camarão, lula, cavaquinha e peixe do dia guarnecido de arroz carnaroli) podem ficar tranquilos. Campeão de preferências desde a inauguração, ele continua no menu do restaurante, indicado com um voto de melhor em sua categoria.

      Veja SP

    • 2008 - Vencedor

      Restaurantes variados Comer & Beber .

      Cenário de cartão-postal, a casa tem como primeiro atrativo uma figueira secular que adorna o gigantesco salão da entrada. No belo ambiente, desfilam algumas receitas executadas com maestria em fornos de alta temperatura pelo potiguar Francisco Gameleira, o Chicão. O caixote marinho (composição de polvo, vieira, camarão, lula, pitu, cavaquinha e peixe na companhia de risoto dourado em açafrão) é a mais famosa. Ainda na seção dedicada ao mar, está o bacalhau assado com batata, cebola e pimentão. Não menos saborosas, há sugestões de cordeiro que também foram fundamentais para o restaurante receber mais uma vez a chancela de o melhor na categoria variados. Em uma delas, a carne do pernil cozinha durante sete horas e meia em vinho tinto espanhol. Ganha de guarnição purê de batata, rúcula e amêndoa. Completam as ofertas ótimos cortes de carne da grife Rubaiyat. Como nos outros endereços da rede, a feijoada em bufê tem lugar garantido nos almoços de quartas e sábados. A boa carta de vinhos traz exemplares de preço razoável, como o Viñas del Vero Merlot 2005, produzido na região espanhola de Somontano.

      Veja SP

    • 2006 - Vencedor

      Restaurantes Comer & Beber .

      Os restaurantes da grife Rubaiyat tornaram-se famosos pelas refeições grandiosas. São conhecidos também pela portentosa carta de vinhos, eleita pelo segundo ano consecutivo a melhor da cidade. Montada sob orientação do proprietário Belarmino Iglesias Filho, tem 1 100 rótulos, em sua maioria de vantajosa relação qualidade-preço. As duas unidades em funcionamento – o Baby Beef Rubaiyat do Itaim e A Figueira Rubaiyat – vendem mais de 8 000 garrafas por mês. No topo das preferências desponta o chileno Villa Montes Cabernet Sauvignon 2005, com 420 garrafas desarrolhadas mensalmente. Esvaziam-se também 340 do Prosecco Sacchetto e 290 do branco espanhol Albariño O Rosal 2004. Entre os clientes estrangeiros que passam pela dupla de casas, o malbec gaúcho Don Laurindo Reserva 2004 lidera os pedidos, com média de 110 unidades mensais. Tomam conta desses tesouros engarrafados o sommelier Fabiano Aurelio, no Figueira, e seu colega Antonio Ailson Loiola, no Rubaiyat do Itaim.

      Veja SP

    Comentários
    Deixe um comentário

    Olá, ( log out )

    * A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

    w

    Conectando a %s