A bela Sintra (Desde 2004)

Tipos de Restaurantes: Portugueses
VejaSP
starsstarsstarsstarsstars
Endereço: Rua Bela Cintra, 2325 - Jardim Paulista - São Paulo - SP ver no mapa
Telefone: (11) 38910740(11) 38911090
Horário:
segunda-feira
12:00 - 15:30 - 19:00 - 01:00
terça-feira
12:00 - 15:30 - 19:00 - 01:00
quarta-feira
12:00 - 15:30 - 19:00 - 01:00
quinta-feira
12:00 - 15:30 - 19:00 - 01:00
sexta-feira
12:00 - 15:30 - 19:00 - 01:00
sábado
12:00 - 01:00
domingo
12:00 - 23:00
Feriado das 12:00 às 23:00
payment

Formas de pagamento

Cartões de crédito: Visa, Mastercard, Diners e American Express
Cartões de débito: Visa Electron, Rede Shop e Maestro

check_circle

Informações adicionais

Estacionamento/Valet (R$ 30,00), Acesso para deficientes, Lugares/Capacidade total (72), Comida (couvert) (R$ 30,00) (1), Levar vinhos (permite) (R$ 140,00)

(1)R$ 19,00 no almoço de segunda a sexta e R$ 30,00 nos demais horários

Resenha por Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

Com ótimo serviço, o salão é comandado pelo sócio português Carlos Bettencourt. A cozinha continua tinindo, embora tenha perdido a chef Ilda Vinagre, que se mudou para Lisboa, onde abriu o restaurante de almoços S. Pode-se começar pela salada de camarões de ótima textura (R$ 73,00) ou pela sopa de pedra, preparada com feijão preto pilado, bacon e alho (R$ 29,00). No capítulo de sugestões de bacalhau há várias opções. Na versão à lagareiro, uma posta alta aparece coberta por cebola na companhia de brócolis, batata ao murro e tomate (R$ 176,00). Chamado de toffe (R$ 34,00), o doce de leite cozido e nozes é uma das tentações entre as sobremesas cheias de açúcar.

Preços checados em setembro de 2017.

    Comer e beber

    • 2017 - Indicado

      Português tradicional Comer & Beber .

      Com ótimo serviço, o salão é comandado pelo sócio português Carlos Bettencourt. A cozinha continua tinindo, embora tenha perdido a chef Ilda Vinagre, que se mudou para Lisboa, onde abriu o restaurante de almoços S. Pode-se começar pela salada de camarões de ótima textura (R$ 73,00) ou pela sopa de pedra, preparada com feijão preto pilado, bacon e alho (R$ 29,00). No capítulo de sugestões de bacalhau há várias opções. Na versão à lagareiro, uma posta alta aparece coberta por cebola na companhia de brócolis, batata ao murro e tomate (R$ 176,00). Chamado de toffe (R$ 34,00), o doce de leite cozido e nozes é uma das tentações entre as sobremesas cheias de açúcar. (Preços checados em setembro de 2017.)

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2016 - Participante

      Restaurantes portugueses Comer & Beber .

      Em rara sintonia, o sócio alentejano Carlos Bittencourt e a chef Ilda Vinagre descobriram como agradar em cheio à clientela fel. Se o serviço no salão mantém a linha formal e extremamente gentil (as pedidas chegam à mesa em lindas cloches metálicas), a cozinha se permite uma ou outra invenção, sem escandalizar os mais puristas, claro. Entre as ótimas criações de Ilda está o mil-folhas de bacalhau com tomate, espinafre e creme gratinado (R$ 142,00). Para variar do pescado, experimente o arroz de polvo à portuguesa (R$ 117,00). Escolha na vistosa bandeja de sobremesas a deliciosa e açucarada torta de nozes com baba de moça (R$ 34,00). (Preços checados em setembro/outubro de 2016.)

      Arnaldo Lorençato, Helena Galante e Saulo Yassuda

    • 2015 - Indicado

      Restaurantes portugueses Comer & Beber .

      Com salão bonito e bem cuidado, esta é uma casa de alma nobre e serviço à moda antiga. Todo cliente recebe tratamento de rei da brigada conduzida sob o olhar atento do sócio alentejano Carlos Bettencourt. Na cozinha, as receitas são preparadas sob a supervisão de sua conterrânea Ilda Vinagre. E não se engane: regimes são vetados por lá diante de tantas receitas fartas e calóricas. Começa com pecadilhos que podem se somar ao couvert, como o pastel de camarão de massa fina e crocante, o croquete de carne e o bolinho de bacalhau, este um tantinho engordurado. Nem todas as receitas são lusas. Dá para pedir de aperitivo a casquinha de siri (R$ 43,00). Na sequência, pratos como o bacalhau fernando pessoa (Gadus morhua em lascas chapeado com brócolis e tomatinhos; R$ 113,00) ou o pato ao molho de framboesa mais creme de espinafre e purê de batata (R$ 103,00). Das tentações do arremate, os ovos nevados vêm com os fios de caramelo por cima (R$ 31,00). (Preços checados em setembro/outubro de 2015).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2014 - Indicado

      Restaurantes portugueses Comer & Beber .

      Em quase uma década de funcionamento, a luxuosa e agradável casa do alentejano Carlos Bettencourt levou cinco vezes o título de melhor de sua categoria. Essa coleção de troféus não é por acaso. Trata-se de um dos melhores restaurantes da cidade. Na cozinha, a chef Ilda Vinagre, vinda da mesma região de Bettencourt, faz maravilhas. Os exemplos começam no couvert, com pequenos mimos para o paladar, como o queijinho fresco e a berinjela fria no molho de tomate. As entradas incluem o delicioso caldo verde (R$ 38,00) assim como a salada de folhas enroladas em um ninho com peixes picados no centro (R$ 49,00). Exuberante em condimentos, o arroz de pato (R$ 95,00) feito com o grão carolino importado de Portugal surge úmido e fumegante. O bacalhau chiado (R$ 101,00) é uma peça alta recoberta por crosta de amêndoa e assentado sobre rodelas de batata cozida mais tomate quentinho e espinafre. Entre o sorvete e a musse, o biscuit de figo (R$ 26,00) leva a fruta seca. (Preços checados em setembro/outubro de 2014).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2013 - Participante

      Restaurantes portugueses Comer & Beber .

      Nas águas do Atlântico Norte nada o Gadus morhua, o mais nobre dos bacalhaus. Chamado popularmente de porto imperial, ele tem uma bela cauda em forma de leque, marca registrada que facilita seu reconhecimento. Quando cozido, desmancha-se em lâminas claras e macias ao toque dos talheres. É justamente esse peixe que faz as glórias do A bela Sintra. Mensalmente, o restaurante compra 1,2 tonelada da matéria-prima criteriosamente escolhida e de origem norueguesa. Depois de dessalgado, suas laterais são usadas para fazer bolinhos e o lombo transforma-se em ótimas receitas clássicas. Responsável pela cozinha, a alentejana Ilda Vinagre prepara a versão à lagareira com uma posta alta ligeiramente empanada e levada ao forno coberta por cebola dourada, lâminas fritas de alho, batata, brócolis, tomate sem pele e azeitona preta (R$ 153,00). A chef também faz outras delícias típicas, entre elas o arroz de polvo de sabor intenso, enriquecido por pimentão vermelho e colorido com salsinha (R$ 113,00). Hospitaleira, a brigada de serviço continua sob a orientação segura do sócio Carlos Bettencourt, um mestre na arte de receber. (Preços checados em setembro/outubro de 2013).

      Arnaldo Lorençato e Helena Galante

    • 2012 - Vencedor

      Restaurantes portugueses Comer & Beber .

      Prestes a completar oito anos de funcionamento, o restaurante do alentejano Carlos Bittencourt leva o título de melhor de sua categoria pela quarta vez consecutiva. Oito votos consagraram as receitas preparadas sob a orientação de Ilda Vinagre, chef e conterrânea do restaurateur. Notável, a salada de pato é um apetitoso jogo de texturas, composto de folhas variadas, palitos de cenoura e lascas crocantes da carne da ave confitada. Na ótima e cara versão à portuguesa, o bacalhau em posta grelhada salpicada de alho tostado vem com batata, cebola, ovo e couve-flor de guarnição. Na sobremesa, entregue-se ao desenfreadamente calórico rocambole de chocolate recheado de baba de moça. Focada em rótulos lusos, a carta de vinhos organizada pelo sommelier Wanderson Vieira tem exemplares brancos como o Quinta do Carmo 2010. A elegância com que o maître-gerente Aristides Moreira Cardoso recebe a clientela foi reconhecida com 1 voto do júri do “Comer & Beber”.

      Veja SP

    • 2012 - Indicado

      Restaurantes maître Comer & Beber .

      Prestes a completar oito anos de funcionamento, o restaurante do alentejano Carlos Bittencourt leva o título de melhor de sua categoria pela quarta vez consecutiva. Oito votos consagraram as receitas preparadas sob a orientação de Ilda Vinagre, chef e conterrânea do restaurateur. Notável, a salada de pato é um apetitoso jogo de texturas, composto de folhas variadas, palitos de cenoura e lascas crocantes da carne da ave confitada. Na ótima e cara versão à portuguesa, o bacalhau em posta grelhada salpicada de alho tostado vem com batata, cebola, ovo e couve-flor de guarnição. Na sobremesa, entregue-se ao desenfreadamente calórico rocambole de chocolate recheado de baba de moça. Focada em rótulos lusos, a carta de vinhos organizada pelo sommelier Wanderson Vieira tem exemplares brancos como o Quinta do Carmo 2010. A elegância com que o maître-gerente Aristides Moreira Cardoso recebe a clientela foi reconhecida com 1 voto do júri do “Comer & Beber”.

      Veja SP

    • 2011 - Vencedor

      Restaurantes portugueses Comer & Beber .

      Nenhum outro estabelecimento publicado nesta edição conseguiu o feito do restaurante A bela Sintra, aberto pelo alentejano Carlos Bettencourt seis anos atrás: ser eleito por unanimidade. Foram aprovados pelo júri de VEJA SÃO PAULO o bem cuidado salão e o serviço impecável, conduzido pelo gerente Aristides Cardoso. Certamente contribuíram para a escolha as acertadas indicações de vinhos do sommelier Wanderson Vieira. A decisão, porém, está ligada diretamente ao ótimo cardápio organizado pela chef Ilda Vinagre. Ao lado de estupendas sugestões clássicas, entre elas o bacalhau à lagareiro e o arroz de pato rico em aromas, a cozinheira introduz suas próprias receitas. Como não se render à versão mil-folhas de bacalhau, composta de finas lâminas de massa folhada entremeadas de lascas do pescado, tomate e cogumelo shiitake gratinados num creme leve? Também sobram predicados ao cordeiro grelhado com migas — uma composição de feijão, couve, broa e arroz. Escolha igualmente difícil é a da sobremesa. Se a preferência for um doce conventual, peça o queijinho do céu. Caso contrário, fique com a torta de nozes.

      Veja SP

    • 2010 - Vencedor

      Restaurantes portugueses Comer & Beber .

      Neste ano, o bonito salão passou por uma quase imperceptível remodelação conduzida pelo sócio Carlos Bettencourt, nascido na região portuguesa do Alentejo. Ficou ainda mais agradável o ambiente pelo qual desfila a brigada comandada pelo gerente Aristides Moreira Cardoso. Atenciosos, maîtres e garçons explicam o cardápio de clássicos portugueses que agora abre espaço para receitas criadas pela chef Ilda Vinagre, alentejana como Bettencourt. Entre as sugestões de bacalhau, a cozinheira incluiu a ótima versão a gosto da mia (posta grelhada e levada ao forno guarnecida de cebola dourada no azeite com vinagre balsâmico, batata, azeitona preta e ovo cozido). Também fazem bonito o robalo chapeado ao molho de creme de leite, alho-poró e camarão guarnecido de purê de batata ao perfume de limão-siciliano e o lombo de porco assado em finas fatias ao molho do próprio assado na companhia de abacaxi grelhado e minibatata. Encerram com brilho a refeição tentadores doces conventuais, entre eles o pastel de belém e o leite creme, um aparentado do francês creme brûlé. Na hora de escolher um dos bons exemplares da carta de vinhos, consulte o sommelier Wanderson Vieira. Uma das opções é o branco Filipa Pato Ensaios 2008. Todos esses atributos somados renderam ao restaurante sua segunda vitória consecutiva como o número 1 entre os lusos da cidade.

      Veja SP

    • 2009 - Vencedor

      Restaurantes portugueses Comer & Beber .

      Mestre na arte de receber, o sócio e responsável pelo salão Carlos Bettencourt não economizou esforços em aprimorar seu restaurante, eleito pelo júri o português número 1 da cidade. Entre as recentes medidas tomadas pelo restaurateur está a vinda de Ilda Vinagre, alentejana como ele, para renovar o menu. A chef, que conta com a experiência de ter dirigido restaurantes como A Bolota Castanha, na cidade portuguesa de Terrugem, e cozinhar na Embaixada de Portugal nos Estados Unidos, apresenta uma pequena e saborosa lista de sugestões ao lado dos pratos que consagraram a casa. É irresistível o bacalhau como se faz na fazenda. Por trás do nome campestre, aparece uma receita do lombo alto e perfeitamente dessalgado coberto por uma deliciosa emulsão feita da pele do pescado. De companhia, ganha lâminas de batata cortada em rodelas e uma versão de ratatouille com cogumelo-de-paris. Outra recomendação da cozinheira, o pato assado ao molho de ameixa recebe a guarnição de deliciosos purês de batata e de brócolis ao alho. Além de tentadores doces conventuais, abrilhanta as sobremesas o biscuit de figo, um híbrido entre o sorvete e a musse feito da fruta seca. A carta de vinhos, sob a responsabilidade do sommelier Wanderson Vieira, traz exemplares como o branco português Dom Rafael 2007.

      Veja SP

    Comentários
    Deixe um comentário

    Olá, ( log out )

    * A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

    Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

    Logotipo do WordPress.com

    Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

    Imagem do Twitter

    Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

    Foto do Facebook

    Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

    Foto do Google+

    Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

    Conectando a %s