Clique e assine por apenas 6,90/mês

Rafinha Bastos revela que foi até a casa de PC Siqueira com 25 policiais

O youtuber foi acusado de pedofilia após prints de conversas atribuídas a ele circularem nas redes sociais

Por Redação VEJA São Paulo - 11 ago 2020, 17h55

Rafinha Bastos falou sobre o suposto caso de pedofilia envolvendo PC Siqueira em entrevista ao canal Cortes do Flow, do YouTube, publicada nesta segunda (11). PC foi acusado de pedofilia após conversas atribuídas a ele circularem nas redes sociais. De acordo com as mensagens, o influencer teria repassado fotos de uma criança nua para um amigo.

O comediante revelou que chegou a ir até a casa de PC com 25 policiais com medo de que ele cometesse suicídio pela repercussão do caso. PC e Rafinha trabalhavam juntos em um programa no YouTube chamado ‘Ilha dos Barbados’. No dia 15 de junho, Rafinha postou um vídeo falando sobre o caso.

Segundo ele, depois da publicação da gravação, PC entrou em contato irritado com o conteúdo. “Ele ficou muito louco, muito put%. Mas eu disse que só estou tentando ser humano. Você fala as coisas que sente o tempo inteiro, e eu estou falando o que eu sinto e o que acho importante para mim”, diz Rafinha.

Depois da conversa, PC postou nos stories do Instagram uma mensagem enigmática. “Se você quer escuridão… Eu faço a chama se apagar”. Rafinha pensou então que o ex-colega iria se matar. “Pensei: o filho da put% vai se matar no dia que eu postei o vídeo. E mais, vai se matar e eu vou ser o cara que empurrou da janela. Fui para a porta da casa dele, chamei a polícia. Eu estava pensando primeiramente no cara e depois em mim, porque eu não queria ficar a vida pensado: ‘Eu fui o empurrão'”.

PC tem um conhecido histórico de depressão, algo que nunca escondeu enquanto realizava vlogs no YouTube. “Cheguei lá com 25 policiais na porta do cara. A policial bateu na porta dele e falou: “O seu Paulo César”, e ele atendeu”. Depois Rafinha afirma que os agentes questionaram se estava tudo bem com PC e ele respondeu que sim. “Aí ela [policial] perguntou: a gente pode subir? E ele falou que estava tudo bem, sem problema nenhum”.

Continua após a publicidade

Com a recusa de PC em receber os policiais, a agente explicou para Rafinha que não poderiam invadir a casa do influencer já que nenhum crime estava sendo cometido.

Na entrevista, Rafinha fala ainda sobre como recebeu a notícia das acusações e que os dois perderam contato desde então.

 

 

Continua após a publicidade
Publicidade