Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Fernando Barba, criador do grupo Barbatuques, morre aos 49 anos

Chamado de mestre, músico paulistano criou grupo de percussão corporal que rodou o mundo

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 4 fev 2021, 16h37 - Publicado em 4 fev 2021, 16h34

Fernando Barba, criador do grupo Barbatuques, morreu aos 49 anos na madrugada desta quinta-feira (4). “É com profundo pesar que nós do grupo Barbatuques informamos aos nossos fãs e amigos o falecimento do nosso fundador e eterno mestre Fernando Barboza. Barba fez sua passagem nesta madrugada”, publicou o grupo em redes sociais. 

Em 2017, Barba foi diagnosticado com um tumor no cérebro e precisou fazer uma cirurgia às pressas que o deixou com diversas sequelas. A cirurgia teve sucesso, mas limitou seus movimentos e a fala.

Fernando deixa o pai Caio Luiz Barboza Ferraz, a mãe Maria Isabel Barboza Ferraz e os irmãos Renata Ferraz Torres e Fabio Barboza Ferraz. 

Trajetória

O músico, pesquisador e educador paulistano Fernando Barba foi o criador do Barbatuques, em 1997, grupo reconhecido internacionalmente pela linguagem única de percussão e música corporal. Em 23 anos, os músicos se apresentaram em várias partes do mundo e gravaram quatro CDs, o mais recente “Ayú” (2015), com participações de Hermeto Pascoal e Naná Vasconcelos.

Não imaginava que iríamos realizar tanto, que teríamos o privilégio de encontrar tantos mestres em palcos e gravações, podendo dialogar e aprender sempre mais com eles, assim como a oportunidade de levar nossa música para diferentes plateias ao redor do mundo”, disse o fundador em comemoração ao aniversário do grupo.

No livro “A Vida começava lá – uma história de repercussão corporal” (Stacchini Editorial), Barba contou como criou um mundo de sons. Na obra, narra as conquistas, as viagens e a luta contra as dificuldades de saúde. 

  • Continua após a publicidade
    Publicidade