Projeções de Leonardo da Vinci inauguram o MIS Experience

Vídeos e fotos de obras do artista serão exibidos em telas de até 9 metros no novo centro cultural, na Água Branca

A partir de 2 de novembro, a exposição Leonardo da Vinci — 500 Anos de um Gênio inaugura o centro cultural MIS Experience, no bairro da Água Branca, na Zona Oeste. Irmão caçula da instituição do Jardim Europa, o espaço do governo do estado com gestão da Associação do Paço das Artes mira projetos nos quais a imersão e a interação são combinadas a técnicas como o video mapping, projeções de imagens feitas sob medida para os cantos, linhas, curvas e outros detalhes da arquitetura.

MONA LISA A paisagem do retrato remete à Cordilheira dos Apeninos, na Itália. Ao fundo, Homem Vitruviano, que traz medidas relativas ao corpo humano

MONA LISA A paisagem do retrato remete à Cordilheira dos Apeninos, na Itália. Ao fundo, Homem Vitruviano, que traz medidas relativas ao corpo humano (Grande Exhibitions/Divulgação)

O uso do recurso fica mais evidente no núcleo central da mostra, que foi idealizada pela empresa australiana Grande Exhibitions, com passagem por Ottawa, no Canadá, e Denver, nos Estados Unidos. Essa área, de 800 metros quadrados, conta com 37 telões de até 9 metros de altura. Dispostos nas paredes e no chão, eles apresentam em looping um vídeo com imagens de obras importantes, como o afresco A Última Ceia (1498) e o desenho Homem Vitruviano (1490). Há ainda uma trilha que tenta seduzir os ouvidos dos visitantes e closes que revelam as pinceladas suaves do artista, que nasceu em 1452, na cidade de Florença, um dos berços do Renascimento na Itália.

EM MOVIMENTO Um vídeo de quarenta minutos, exibido em looping, vai ocupar 37 telas no chão e nas paredes do espaço, na Água Branca

EM MOVIMENTO Um vídeo de quarenta minutos, exibido em looping, vai ocupar 37 telas no chão e nas paredes do espaço, na Água Branca (Grande Exhibitions/Divulgação)

No começo da mostra, contudo, o clima é mais analógico. Lá estão réplicas (nenhum dos cerca de 300 itens é original) de cadernos, ou códices, onde foram compiladas anotações e desenhos. Vale notar aí uma característica curiosa: a escrita espelhada. Um de seus biógrafos, o americano Walter Isaacson especula que, canhoto, Da Vinci escrevia da direita para a esquerda, para que a tinta não borrasse o papel.

VANGUARDA RENASCENTISTA O italiano ditou tendências que seguem atuais: criou um protótipo da bicicleta de madeira e era vegetariano

VANGUARDA RENASCENTISTA O italiano ditou tendências que seguem atuais: criou um protótipo da bicicleta de madeira e era vegetariano (Grande Exhibitions/Divulgação)

De olho na sua atuação como engenheiro, há núcleos, delimitados por paredes pretas e vermelhas, nos quais são exibidos protótipos como o de uma bicicleta de madeira que facilmente encantaria a turma das bikes da Avenida Faria Lima hoje, por exemplo (aliás, bem à frente da mentalidade de sua época, Da Vinci também era vegetariano). Entre as engenhocas, está ainda o parafuso aéreo. Feito de linho, corda e madeira, ele nasceu das investigações sobre o voo dos pássaros. O italiano tentou erguer máquinas que levassem os homens ao céu, mas infelizmente não teve êxito nesse campo. Estudioso aplicado de anatomia, fez desenhos do corpo humano nos quais registrou proezas, como a descoberta da estrutura correta do músculo que liga a clavícula ao pescoço. Parece algo inútil, porém era assim, treinando a observação, que ele aperfeiçoava suas pinturas.

OBRA-PRIMA DISSECADA Cópias fotográficas da Mona Lisa, iniciada em 1503 e finalizada em 1519, mostram diferentes traços

OBRA-PRIMA DISSECADA Cópias fotográficas da Mona Lisa, iniciada em 1503 e finalizada em 1519, mostram diferentes traços (Grande Exhibitions/Veja SP)

O sorriso nublado com lábios pouco marcados de Mona Lisa (1503) nasceu da constatação de que as linhas não são vistas de forma precisa na mirada de pessoas, animais e objetos. Envolvem também a personagem questões sobre perspectiva e sombreamento, comentadas em uma sala final, que guarda ainda conjuntos de inventos de guerra e hidráulicos. Uma réplica de uma ponte autoportante é montada com dezessete hastes, algumas compridas e outras curtas. Arrumadas em retângulos que se encaixam, as barras permitiam que a estrutura se movesse e pudesse ser erguida às margens de qualquer rio, a depender da vontade de sua realeza, àquela época o príncipe César Bórgia (1475-1507), conhecido pelo temperamento cruel.

ANATOMIA Uma de suas descobertas foi a estrutura do músculo que sai da clavícula para o pescoço

ANATOMIA Uma de suas descobertas foi a estrutura do músculo que sai da clavícula para o pescoço (Grande Exhibitions/Divulgação)

Diferentemente das retrospectivas que trazem obras originais de grandes nomes da história da arte, a exposição importada pelo MIS Experience suscita censuras na crítica especializada. “O pintor usa pincel e tinta. Quando você transforma o que ele faz em imagens, sejam elas em movimento ou não, o visitante se afasta do que sentiria diante do objeto original, de modo que essa tradução tecnológica pode ser considerada uma redução da experiência”, explica o pesquisador paulista Mauricius Farina, professor da Unicamp. Uma ressalva, porém, é feita. “No máximo, o público se aproxima da temática dos trabalhos, o que pode estimular as pessoas a quererem ver a obra propriamente dita.”

FOCO NA SENSAÇÃO Da Vinci trazia as emoções de seus personagens por meio de gestos e olhares

FOCO NA SENSAÇÃO Da Vinci trazia as emoções de seus personagens por meio de gestos e olhares (Grande Exhibitions/Veja SP)

Idealizadora do Festival Internacional de Linguagem Eletrônica (File), a paulistana Paula Perissinotto enxerga o uso do video mapping como uma espécie de recurso extra. “Não considero algo desprezível, desde que os visitantes saibam que aquilo não é uma obra, mas sim uma ferramenta didática.” E provoca: “Por que não usar as mídias digitais para criar algo novo, e não só para explorar pinturas já feitas?”. Em tempo: no File deste ano, uma das obras era uma animação feita pelo italiano Rino Stefano Tagliafierro que criava uma narrativa em cima de A Última Ceia.

CADERNOS Projetos de futuros engenhos e cenas interessantes apareciam nas anotações do inventor, que era canhoto e escrevia da direita para a esquerda

CADERNOS Projetos de futuros engenhos e cenas interessantes apareciam nas anotações do inventor, que era canhoto e escrevia da direita para a esquerda (Grande Exhibitions/Divulgação)

Marcos Mendonça, diretor-geral do MIS, revela a intenção de abraçar projetos inéditos de VJs, como são chamados os autores de peças de video mapping. “Temos muitos profissionais brasileiros que trabalham em eventos lá fora, mas que aqui não têm reconhecimento”, afirma Mendonça. Em uma coletiva de imprensa no último dia 14, o governador João Doria apostou na novidade como chamariz de turistas.

O galpão ainda em obras: 2 291 metros quadrados

O galpão ainda em obras: 2 291 metros quadrados (Alexandre Battibugli/Veja SP)

“A exposição do Leonardo da Vinci está interligada com o programa de turismo São Paulo para Todos, que já garantiu 607 novos voos para São Paulo desde junho. Vamos atrair um turismo cultural e de lazer de cidades do interior e de outros estados. Cultura para todos e cultura sem censura”, afirmou. O novo centro cultural tem capacidade para receber até 1 000 pessoas por hora. Se o público corresponder ao otimismo, 500 Anos de um Gênio poderá ultrapassar 1 milhão de visitantes em quatro meses.

MIS Experience: estrutura da marcenaria repaginada

MIS Experience: estrutura da marcenaria repaginada (Alexandre Battibugli/Veja SP)

GALPÃO CULTURAL

O prédio que se transformou no MIS Experience funcionou como uma marcenaria ligada à TV Cultura. A reforma, em curso há mais de três meses, e a realização da mostra custaram 8,5 milhões de reais, bancados pela iniciativa privada. Nessa repaginação do espaço, foi criado um mezanino, que, junto do térreo, totaliza 2 291 metros quadrados. Na empreitada, os arquitetos Renato Theobaldo e Roberto Rolnik fizeram a substituição do antigo telhado por uma “cobertura sanduíche”, em que as fatias de chapas de aço galvanizado são recheadas de isopor. Parte das calhas foi mantida. O lugar agora tem isolamento acústico e de luz.

> Leonardo Da Vinci — 500 Anos de um Gênio no MIS Experience. Rua Vladimir Herzog, 75. Terça a domingo e feriados, 10h às 20h. R$ 30,00 e R$ 40,00, grátis às terças. Até 1º de março de 2020. Ingressos já à venda.

Publicado em VEJA SÃO PAULO de 23 de outubro de 2019, edição nº 2657.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s