Clique e assine por apenas 6,90/mês

Jared Leto protagoniza polêmica após organizar festival com cara de seita

Vocalista foi comparado ao serial killer Charles Manson

Por Mariani Campos - Atualizado em 16 ago 2019, 19h01 - Publicado em 16 ago 2019, 19h00

O cantor e ator Jared Leto é protagonista de uma polêmica envolvendo a sua banda, a Thirty Seconds To Mars. Nesta quinta (15), o grupo publicou em seu Twitter fotos de um acampamento musical chamado Mars Island, onde seus fãs, apelidados de “Echelon”, se vestem inteiramente de branco e se reúnem ao redor do vocalista, com ares de Messias e roupas da mesma cor.

Na publicação das imagens, a legenda “yes, this is a cult” (sim, isso é um culto) chamou a atenção dos internautas, que comentaram que Leto criou uma espécie de seita que cobra até 6 500 dólares dos fãs para desfrutarem de três dias na companhia da banda, com shows, aulas de ioga e piscina.

Entre os trending topics do Brasil, o nome do vocalista fica logo acima do de outro famoso: Charles Manson. Foram várias as comparações entre Jared e o líder da seita que aterrorizou os Estados Unidos no final dos anos 60, responsável pela morte da atriz Sharon Tate, esposa do diretor de cinema Roman Polanski. Os críticos à atitude da banda relacionam o modelo de reunião às que Manson organizava. 

Saindo em defesa do grupo e do vocalista, os fãs são claros: a Thirty Seconds To Mars sempre utilizou da frase “yes, this is a cult” para se referir à legião de pessoas que acompanha a carreira da banda.

Continua após a publicidade
Publicidade