Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Aulas de stiletto, dança em cima do salto, crescem na cidade

Escolas têm apostado cada vez mais no ensino dos movimentos sensuais ao som de música pop

Por Sara Ferrari 24 nov 2017, 06h00

Assim como fazem as divas do pop, muitas paulistanas querem aprender a dançar em cima do salto, com direito a poses dignas de estrela. Escolas da capital andam apostando cada vez mais nas aulas do gênero chamado stiletto, que são embaladas por músicas de Beyoncé, Anitta e outras cantoras que representam a categoria. Há pelo menos vinte endereços por aqui que oferecem a modalidade — a maioria entrou nessa onda nos últimos dois anos.

Criado em uma academia nova-iorquina, o estilo mistura jazz e hip-hop e permite que as alunas aprendam truques para melhorar o equilíbrio e a postura, além de jogadas com o cabelo e olhares marcantes. “Minha autoestima melhorou”, afirma a administradora Rebecca Juraszek, de 56 anos. Ela entrou no negócio para superar uma depressão. Após sete meses matriculada no Clube Latino, na Consolação, enxugou 20 quilos. “A chave é deixar a inibição em casa e apostar na sensualidade”, diz o professor Kaval Heels.

Na Casa da Dança, nas Perdizes, onde há cinco turmas do tipo, as aulas acontecem a meia-luz. “Isso ajuda a galera a se soltar e a ficar à vontade com o corpo”, diz Tatiane Sanchis, proprietária do espaço. E não são só as mulheres que sobem no salto. Aluno do Estúdio Anacã, com quatro unidades na cidade, o publicitário Pedro Henrique Nascimento requebra de segunda a sábado. “Quero me profissionalizar como dançarino performático”, conta.

Para aderir à prática, aconselha-se o uso de sapatos que não ultrapassem os 10 centímetros de altura. Médico especializado em dor e reabilitação, o fisiatra Roberto Rached alerta para alguns riscos da atividade. “Sem o acompanhamento profissional, é possível prejudicar a coluna”, diz. Executado de forma correta, porém, o stiletto auxilia no fortalecimento muscular. “Ajuda também a aumentar a coordenação motora e a capacidade cardiopulmonar”, completa o especialista.

Casa da Dança. Rua Apinajés, 253, Perdizes, ☎ 3676-0089. Mensalidade: 203 reais (uma vez por semana).
Clube Latino. Rua da Consolação, 2416, Consolação, ☎ 3272-9823. Mensalidade: 140 reais (uma vez por semana).
Estúdio Anacã. Avenida Giovanni Gronchi, 5930, 2º piso, ☎ 3085-1383. Mensalidade: 550 reais (duas vezes por semana, no plano anual).

  • Continua após a publicidade
    Publicidade