Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Sushi a 1 real: delivery paulistano fideliza clientes e expande negócios

A empresa Sush1 recebeu 21 233 pedidos no último mês

Por Camila Pusiol Atualizado em 14 fev 2020, 15h59 - Publicado em 17 ago 2018, 06h00

Uma promoção do tipo “compre um e leve dois”, lançada no começo do mês, fez os sócios Marco Misasi e Leandro Onsari suspender o serviço do Sush1 temporariamente. O motivo foi o volume de pedidos, que superou a expectativa da dupla iniciante no negócio. Mesmo se tratando de uma oferta pontual, a situação traduz o sucesso do delivery de sushi e sashimi, aberto em novembro de 2017, que oferece combos de até 39 reais em que a unidade sai por apenas 1 real. “Queremos democratizar a comida japonesa”, diz o relações-públicas Misasi.

Além do preço, fideliza os clientes a rapidez na entrega, que, embora terceirizada — o serviço faz uso de aplicativos —, é facilitada pela localização das cozinhas. Da matriz, no Itaim Bibi, saem pedidos para a Zona Sul e a Zona Oeste, e a unidade recém-aberta no centro atende fregueses da região central até a Zona Norte. A apresentação também ganha pontos a favor: os sushis vão em caixas com divisórias que servem de suporte para a comilança. “Shoyu e guardanapo têm com partimentos próprios, o que evita sujeira”, conta Ricardo Niemeyer, que trabalha no mercado financeiro e recorre ao Sush1 três vezes por semana.

Combos de sushi: os preços variam de 25 a 39 reais Clayton Vieira/Veja SP

No último mês, o Sush1 recebeu 21 233 pedidos, o dobro do atingido pelo Sassá Sushi, um dos restaurantes líderes de venda em domicílio desse prato oriental. Para dar conta dos pedidos, a empresa recebe 27 toneladas de salmão chileno e 20 toneladas de arroz uruguaio por mês. Os insumos chegam às cozinhas diariamente. “Esse volume ajuda a diminuir o custo”, calcula Misasi.

Outra estratégia é o uso de máquinas para fazer o arroz, enrolar os sushis e embalá-los nas caixas. Aos oito sushimen cabe a tarefa de limpar e fatiar os peixes. “Vamos investir cada vez mais na mecanização. Só assim conseguiremos cumprir a meta de montar mais treze unidades até o fim de 2019”, diz ele. A próxima loja tem abertura prevista para outubro, na Vila Mariana.

Continua após a publicidade

Publicidade