Pizzas com história

Em livro que será lançado nesta quinta (5), jornalista narra a trajetória de 10 das mais antigas casas especializadas na receita italiana

A jornalista Gabriela Erbetta lança, nesta quinta (5), Pizzarias que contam a história de São Paulo. Além de uma introdução, que traz um relato sobre os critérios dos dez estabelecimentos escolhidos para compor o livro, a obra reúne resenhas sobre cada um desses endereços. A proposta, segundo a autora, foi selecionar casas com mais de trinta anos de funcionamento.

A mais antiga das pizzarias resenhadas é a Castelões, no Brás, cujos atuais proprietários atribuem o ano de 1924 como o da abertura da casa. Esse local, quase centenário, ocupa o antigo salão onde foi inaugurado. Segundo relato de Gabriela, a Castelões servia como um vestiário e ponto de encontro do time de futebol Castelões F.C. e, após as partidas, costumavam ser servidos comes e bebes para os jogadores.

Entre os personagem da cidade que passarão pelo ambiente túnel do tempo da Castelões está Milton Peruzzi, jornalista e cronista d’A Gazeta Esportiva, a quem se atribui a expressão “acabou tudo em pizza”, que traduz uma ação não teve uma conclusão desejada.

 (Divulgação/Divulgação)

Essas e outras curiosidades recheiam o projeto de Gabriela criado em parceria com Marcelo Duarte, fundador da Panda Books, editor que publica o livro e autor do Guia dos Curiosos. “Temos uma tendência em pensar na história da cidade através de uma sucessão de fatos políticos, econômicos e sociais, mas esquecemos que os lugares também têm participação nessa história”, diz Gabriela. E justifica a escolha das pizzarias. “Poderíamos contar as histórias de outros tipos de restaurantes, como japoneses ou algum outro, mas pizza representa São Paulo”, acredita.

Além da Castelões, estão retratadas a Ângelo, na Mooca, a Camelo, com vários endereços na cidade, a Margherita, no Jardim Paulista, a Cristal, no Jardim Paulistano, a cantina Jardim de Napoli, na Vila Buarque, a Paulino, rede com cinco unidades na Grande São Paulo, a Speranza, na Bela Vista, a Urca, no Paraíso, e a Vituccio, na Vila Ipojuca.

Certamente, alguns fãs de pizzas sentirão falta de locais clássicos como a Zi Tereza (1945), no Campo Belo e nos Jardins, a Monte Verde (1956), no Bom Retiro, e a São Pedro (1966), na Mooca, – citada no texto da Angelo (1971) –, e a rede 1900 (1983).

O lançamento, às 19h, está programado na Livraria Cultura do Conjunto Nacional. Com quase 100 páginas e ilustrado por fotos preto e branco, o livro custa R$ 35,90. A autora estará presente para uma sessão de autógrafos e bate-papo sobre a obra.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s