Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Viajar e Curtir Por Blog Tudo o que é preciso saber antes de embarcar para a viagem dos sonhos

Dez castelos para visitar na Europa

Entre as principais atrações do continente europeu, os castelos e palácios certamente aparecem no topo da lista dos viajantes. Repletos de história, estes locais protagonizaram grandes eventos, como batalhas na Idade Média e revoluções culturais. Com um número tão grande de construções, selecionamos dez que você não pode deixar de colocar no seu roteiro: + Cinco […]

Por pedrotavares Atualizado em 26 fev 2017, 15h16 - Publicado em 31 jul 2015, 22h51
Castelo de Neuschwanstein, na Alemanha (Foto: jolseyshowaa, no Flickr)

Castelo de Neuschwanstein, na Alemanha (Foto: jolseyshowaa, no Flickr)

Entre as principais atrações do continente europeu, os castelos e palácios certamente aparecem no topo da lista dos viajantes. Repletos de história, estes locais protagonizaram grandes eventos, como batalhas na Idade Média e revoluções culturais. Com um número tão grande de construções, selecionamos dez que você não pode deixar de colocar no seu roteiro:

+ Cinco lugares de Paris para deixar a Torre Eiffel de lado

Castelo de Windsor (Inglaterra): A 40 quilômetros de Londres, o local é a casa de férias da Rainha Elizabeth II, onde a família real costuma ir quando deixa o Palácio de Buckingham. O Castelo de Windsor fica na cidade de mesmo nome e, com mais de mil anos, aparece como o maior ainda ocupado no mundo. Assim como na capital inglesa, a troca da guarda é uma das atrações mais procuradas pelos turistas. Na parte interior, os destaques são a casa de bonecas da Rainha Mary e um salão construído em homenagem à vitória do exército inglês na Batalha de Waterloo (1815), o Waterloo Chamber. O ingresso custa em torno de 20 libras (cerca de 80 reais).

Windsor, residência de verão da família real (Foto: Jöshua Barnet, no Flickr)

Windsor, residência de verão da família real (Foto: Jöshua Barnet, no Flickr)

+ Mulheres viajando sozinhas: os conselhos da escritora de “Comer, Rezar, Amar”

Castelo Sant’Angelo (Roma): Às margens do terceiro maior rio da Itália, o Tibre, o castelo foi construído para servir de túmulo ao imperador Adriano, um dos mais poderosos do Antigo Império Romano, e sua família. Apesar de não ser tão conhecido como o Coliseu e a Capela Sistina, o Sant’Angelo é um dos monumentos mais imponentes da capital italiana. O local já exerceu diversas funções, como posto militar, prisão e residência. Atualmente, funciona como um museu. O ingresso custa 12,50 libras (cerca de 45 reais) e dentro pode-se ver quadros, esculturas, armas e outros objetos.

Castelo de Sant’Angelo, em Roma (Foto: Nicolas Grevet, no Flickr)

Castelo de Sant’Angelo, em Roma (Foto: Nicolas Grevet, no Flickr)

+ Onze lugares para visitar em Porto Alegre

Palácio de Versalhes (França): É considerado um dos mais luxuosos do mundo. A construção foi um pedido do rei Luis XIV e serviu de residência oficial ao monarca a partir de 1682. O palácio é tão grandioso que possui mais de 650 quartos, 2 000 janelas e sessenta escadas. Entre os ambientes mais luxuosos está a Sala dos Espelhos, onde se realizavam festas que chegavam a se estender por dias. Vale visitar a Galeria das Batalhas, com pinturas retratando a história da França e a Capela Real. Os jardins são um espetáculo à parte: fontes, estátuas e espelhos d’água dividem espaço em meio ao colorido das flores e o verde da vegetação. Não esqueça também de conhecer os domínios de Maria Antonieta, que ficam nos jardins. A melhor forma de chegar até Versalhes é de trem, pela linha metropolitana de Paris (RER). O bilhete custa 18 euros (60 reais).

Palácio de Versalhes, um dos mais imponentes do mundo (Foto: green_is_in, no Flickr)

Palácio de Versalhes, um dos mais imponentes do mundo (Foto: green_is_in, no Flickr)

+ Vinho, viagem e mordomias: o Brasil na rota do luxo

Castelo de Chambord (França): No Vale do Loire, região que conta com diversos castelos, Chambord é o maior e mais conhecido da renascença francesa. Na beira do Rio Loire, considerado patrimônio mundial pela Unesco, a construção foi uma ordem do Rei Francisco I, no século XVI, que se inspirou nos principais artistas franceses e italianos da época. O local funcionava como uma residência de férias da realeza e fica a duas horas ao sul de Paris. No caso de Francisco I, a região no entorno do palácio era propícia para atividades de caça. Com o passar do tempo, outros reis se hospedaram por lá, como Luis XIV. O ingresso custa 11 euros (35 reais).

Castelo de Chambord fica no Vale do Loire (Foto: Benh Lieu Song, no Flickr)

Castelo de Chambord fica no Vale do Loire (Foto: Benh Lieu Song, no Flickr)

Doze motivos para visitar Socorro

Castelo de Neuschwanstein (Alemanha): O nome é quase impossível de pronunciar, mas este é um dos mais famosos do mundo. A construção serviu como fonte de inspiração para o Castelo da Cinderela, desenho da Disney. Justamente por isso o palácio costuma ser lembrado quando se faz referência à animação da princesa. Por ordem do Rei Ludwig II da Baviera – que não sobreviveu para ver a conclusão de seu projeto – a obra é um dos cartões-postais da Alemanha e está localizada a duas horas de trem da cidade de Munique. Ao descer na estação da cidade de Füssen, é preciso pegar um ônibus até a região de Hohenschwangau, onde fica a bilheteria. Como as visitas são feitas com horário marcado, é aconselhável comprar o ingresso pela internet e o bilhete custa 12 euros (40 reais).

Continua após a publicidade

Inspiração para a criação do castelo de Cinderela (Foto: Alf Igel, no Flickr)

Inspiração para a criação do castelo de Cinderela (Foto: Alf Igel, no Flickr)

+ Como escolher o destino de sua lua de mel

Castelo de Edimburgo (Escócia): a antiga fortaleza é uma das principais atrações da cidade de Edimburgo, na Escócia. No topo de um rochedo, o “Castle Rock” é perfeitamente visível de diversos pontos da cidade. Com mais de um milhão de visitantes anuais, o local remonta um pequeno vilarejo medieval. Construído no século IX, o castelo tem como principais atrações as jóias da Coroa, as prisões militares e a Capela de Santa Margarida, o aposentos reais e o Grande Hall, obra do rei Jaime IV. O ingresso custa 16,50 libras (50 reais).

Uma fortaleza na cidade de Edimburgo (Foto: UncleBucko, no Flickr)

Uma fortaleza na cidade de Edimburgo (Foto: UncleBucko, no Flickr)

+ Castelo das princesas da Disneyland Xangai será o maior de todos os parques temáticos do estúdio

Castelo de Praga (República Checa): Entre os maiores do mundo, o Castelo de Praga é um espetáculo. Localizado na Colina Hradcany, um dos pontos mais altos da cidade, já abrigou o escritório do presidente da Checoslováquia e hoje é sede do governo da República Checa. Assim como o Castelo de Edimburgo, o ponto turístico é como um complexo urbano, com museu, catedral, convento e uma charmosa vila medieval. No entanto, uma das principais atrações certamente é o mirante que dá acesso à vista da cidade. A melhor forma de chegar até o castelo, um patrimônio da humanidade pela Unesco, é através dos ônibus que saem do centro histórico da cidade. A descida pode ser feita a pé, saindo pela também bela Ponte Carlos. O ingresso custa de 70 a 350 coroas checas (de 10 a 50 reais), dependendo do tipo de visita.

Castelo é uma das principais atrações de Praga (Foto: Roman Boed, no Flickr)

Castelo é uma das principais atrações de Praga (Foto: Roman Boed, no Flickr)

+ Viagens baratas: seja “babá” de casas e economize em hospedagem

Castelo de Chantilly (França): Às margens do rio Nonette, o Castelo de Chantilly é um dos mais bonitos da França. No norte do país, a construção fica a apenas trinta minutos de Paris. Portanto, é um ótimo programa para quem está de férias na capital francesa. O lugar também abriga o Museu Condé, que tem o segundo maior acervo de pinturas antigas do país, perdendo apenas para o Louvre. Na parte exterior, o castelo ostenta um grande parque de 115 hectares, semelhante aos Jardins de Versalhes. Outro ponto forte é a gastronomia, que conta com dois restaurantes: o La Capitainerie e o Aux Goûters Champêtres. Em ambos, não deixe de pedir as sobremesas com a receita original do famoso creme de Chantilly. A melhor forma de chegar ao local é de trem, saindo do centro de Paris. Da Gare du Nord, desça na estação Chantilly-Gouvieux. O trajeto dura vinte e cinco minutos. De trem metropolitano (RER), pegue a linha D, a partir da estação parisiense “Châtelet – Les Halles”. Pare na estação Chantilly-Gouvieux. O trajeto dura quarenta e cinco minutos. Os ingressos custam 16 euros (cerca de 50 reais).

Não deixe de experimentar a receita original do creme de Chantilly (Foto: Lei Gong, no Flickr)

Não deixe de experimentar a receita original do creme de Chantilly (Foto: Lei Gong, no Flickr)

+ 10 coisas que irritam muito o viajante

Castelo Predjama (Eslovênia): Este é certamente um dos mais interessantes da lista. Com 500 anos e construído em uma formação rochosa natural na Eslovênia, o Castelo Predjama é uma das atrações turísticas mais populares do país e chega a dar medo na hora da visita: ele está literalmente na beira de um abismo. O lugar também funciona como um museu que retrata a vida de vários senhores medievais. Predjama já precisou ser reconstruído duas vezes, devido a desastres naturais e guerras. Se quiser estender a visita, não deixe de conferir as Cavernas de Postojna, a dez quilômetros do local. O ingresso para o castelo custa 12 euros (45 reais) e para a caverna, 23 euros (75 reais).

Na beira do penhasco (Foto: Jaakko Lintula, no Flickr)

Na beira do penhasco (Foto: Jaakko Lintula, no Flickr)

+ Friends, Sex and the City e HIMYM: um tour pela Nova York dos seriados

Castelo de São Jorge (Portugal): O Castelo de São Jorge integra a zona nobre da antiga cidade medieval de Lisboa. Em um dos pontos mais altos da capital portuguesa, também funciona como um mirante, com uma vista panorâmica de 180 graus. Construído pelos muçulmanos em meados do século XI, o local era uma espécie de reduto de defesa das elites, que tentavam se isolar da cidadela. Já em 1147, sob o comando de Dom Afonso Henriques, o forte começou a se tornar um espaço da corte portuguesa. Entre as principais atrações estão o museu e o sítio arqueológico. Os ingressos custam 8 euros (30 reais).

Castelo de São Jorge, iluminado durante a noite (Foto: Pedro Szkely, no Flickr)

Castelo de São Jorge, iluminado durante a noite (Foto: Pedro Szkely, no Flickr)

 

Continua após a publicidade

Publicidade