Imagem Blog

Terraço Paulistano

Notas exclusivas sobre artistas, políticos, atletas, modelos, empresários e pessoas de outras áreas que são destaque na cidade. Por Humberto Abdo.
Continua após publicidade

MAC-USP exibe primeira retrospectiva da artista plástica Suanê

Museu reúne mais de sessenta obras da pernambucana radicada em São Paulo

Por Humberto Abdo
19 abr 2024, 06h00

Sete décadas em São Paulo não foram capazes de apagar as raízes pernambucanas de Lúcia de Barros Carvalho (1922-2020). Até sua morte, aos 98 anos, a artista plástica mais conhecida como Suanê viveu uma rotina discreta e distante do circuito artístico da capital paulista — onde terá, a partir de sábado (20), a primeira retrospectiva de seu trabalho, exibida no Museu de Arte Contemporânea da USP.

“São Paulo foi um meio para se tornar artista, mas ela mantinha a conexão com o Pernambuco ‘cósmico’, que não é necessariamente real e histórico, e sim um território de seus sonhos e lembranças”, define o curador responsável, Tálisson Melo.

A partir desse olhar, a mostra O Pernambuco Cósmico de Suanê reúne cerca de sessenta pinturas, incluindo itens de coleções particulares e do acervo preservado pela família da artista.

Tsakhakat-xua em Verde (1989)
Tsakhakat-xua em Verde (1989) (Ana Viotti/Divulgação)

“Fizemos um levantamento de tudo o que tem por aí e recuperamos algumas obras, porque ela vendeu um pouco nos anos 1980”, explica Talita Desserie, que conduz o trabalho de preservação do acervo em parceria com Fernanda Gonçalves.

Com produções que vão de 1946 a 2019, a seleção inclui a têmpera sobre madeira Santa com Anjos (1946), retratando Nossa Senhora da Conceição, cultuada em Águas Belas, sua cidade natal. “É uma das primeiras de Suanê, feita com um altar e bandeirinhas de São João, que aparecem até nas obras pintadas por ela nos últimos anos de vida e são representações de festa e ancestralidade”, descreve Tálisson.

Tsakhakat-xua em Duas Cores (1988
Tsakhakat-xua em Duas Cores (1988 (Ana Viotti/Divulgação)

Criações como Enterro na Rede (1946) e Interior de Fazenda (1946), ambas parte do acervo do MAC, surgem ao lado de Tsakhakat-xua em Duas Cores (1988), que registra a influência do povo fulni-ô em sua infância e também integra a exposição. Pinturas da “fase cósmica”, do final da década de 1980, completam a curadoria.

“Assim como duas pinturas feitas pela mãe dela, Dona Francisquinha, quando Suanê a ensinou a pintar em seus últimos anos de vida”, adianta. “E um retrato da artista feito pelo marido, Nelson Nóbrega.”

Embora tenha deixado sua marca na cidade ao assinar os afrescos da Capela do Morumbi, nos anos 1950, a artista passou longe do mercado da arte e de grandes exposições, exceto em ocasiões como a I Bienal Internacional de São Paulo, no início de 1950, e em salões internacionais de cidades como Paris, Tóquio e Santiago.

Continua após a publicidade
Passagem (1988)
Passagem (1988) (Ana Viotti/Divulgação)

“É uma artista que sofreu um apagamento pessoal por ter sido muito exigente consigo mesma. Nem ela nem o marido gostavam de se mostrar e, assim, Suanê ficou à margem, por ter essa autocrítica”, opina Talita.

“Suas pinturas tiveram um papel importante na projeção do Nordeste no imaginário da metrópole paulistana. Ela trouxe nuances à imagem estereotipada que se construiu sobre a região, falando de vida e de festas em um lugar marcado pela ideia de miséria”, completa Tálisson.

Continua após a publicidade

MAC USP. Avenida Pedro Álvares Cabral, 1301, Ibirapuera, ☎ 2648- 0254. Estreia sábado (20). Ter. a dom., 10h/21h. Grátis. Até 21/7. mac.usp.br

Fundo de Quintal
Fundo de Quintal (Ana Viotti/Divulgação)
O Leproso (1950
O Leproso (1950 (Ana Viotti/Divulgação)
Chega, Irmão das Almas
Chega, Irmão das Almas (Ana Viotti/Divulgação)

Publicado em VEJA São Paulo de 19  de abril de 2024, edição nº 2889

Compartilhe essa matéria via:
Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.