Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Pop! Pop! Pop! Por Blog Cultura pop, TV e o que repercute nas redes sociais

Mulher fica chocada ao descobrir que filhote de 680 reais não é cachorro

A jovem achou curioso quando a mascote parou de consumir ração para cachorros e começou a crescer uma cauda longa e peluda ao completar 3 meses de vida

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 5 fev 2020, 14h09 - Publicado em 9 Maio 2018, 18h01

Ms. Wang achou que estava levando para casa um adorável cachorrinho da raça spitz japonês, mas acabou comprando um animal completamente diferente. A mulher, que pagou 140 libras (cerca de 680 reais) pela mascote, achou curioso quando o cão parou de consumir ração para cachorros e começou a mostrar uma cauda longa e peluda ao completar 3 meses de vida.

A mulher revelou a Shanxi Network Television que comprou o filhote de spitz japonês de um pet shop na província de Shanxi, na China, em julho de 2017. Ela alimentou a bichinho com frutas, peito de frango e comida para cachorro. Ao completar 3 meses de vida, no entanto, o cachorro parou de comer a ração. O que chamou a atenção de Wang, no entanto, foi algo ainda mais curioso: ela notou que o filhote não latia. “A pele dele ficou mais grossa quando ele completou 3 meses de vida. A face dele ficou mais pontuda e a cauda dele cresceu além do normal para um cachorro“, relembrou a jovem.

A suspeita de Wang aumentou quando ela visitou um parque com a mascote, onde alguns pedestres apontaram que o cachorro era, na verdade… uma raposa. “Outros cachorros ficavam com medo do meu animal de estimação, então eu andava com ele em uma coleira“, contou a mulher. Após muitas suspeitas, a jovem levou o cachorro até o Taiyuan Zoo, onde especialistas confirmaram que a mulher comprou uma raposa, e não um cão. “É uma raposa domesticável, por causa do tamanho. Ela tem um cheiro forte e o odor pode ficar mais forte conforme ela cresce“, explicou Mr. Sun, o responsável pelo atendimento.

Com 30 centímetros de comprimento, a raposa-do-ártico deve ficar ainda maior. Após descobrir a verdade, Wang decidiu doar o bicho para o zoológico. Lá, ele receberá a alimentação necessária e terá um dia a dia mais saudável. O animal ficará em quarentena por um mês enquanto veterinários fazem check-ups nele. Após o período de testes, ele será colocado em um ambiente diferente. “Se você tiver saudades, sempre poderá visitá-lo“, disse Sun para Wang após a resolução do caso.

As informações são do The Daily Mail.

Dê sua opinião: E você, o que achou da história inusitada? Deixe seu comentário e aproveite para curtir a nossa fanpage no Facebook!

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês