Imagem Blog

Poder SP - Por Sérgio Quintella

Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO
Sérgio Quintella é repórter de cidades e trabalha na Vejinha desde 2015
Continua após publicidade

Justiça rejeita progressão de pena para Suzy Oliveira

Condenada a trinta anos de cadeia por matar uma criança, ela ficou famosa ao ser abraçada por Drauzio Varella

Por Sérgio Quintella Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 25 fev 2022, 07h32 - Publicado em 25 fev 2022, 07h31

O juiz Adjair de Andrade Cintra, da Vara de Execuções Criminais de Guarulhos, rejeitou o pedido para que a transexual Suzy Oliveira, 33, condenada em 2014 a 30 anos, 10 meses e 20 dias de cadeia por matar um menino de nove anos, possa progredir para o regime semiaberto. Ela ficou famosa ao ser abraçada pelo médico Drauzio Varella, durante uma reportagem para o Fantástico, da TV Globo, há dois anos.

Na época, o caso ganhou ares de comoção pública, mas depois que descobriu-se o crime pela qual ela foi condenada, a onda se inverteu e o médico passou a ser criticado. Varella chegou a gravar um vídeo pedindo desculpas à família da vítima.

No despacho, o magistrado disse que, apesar de a legislação determinar punições mais brandas, a concessão não deve ser automática. “Para a obtenção do benefício da progressão de regime, é necessário que o sentenciado preencha os requisitos de ordem objetiva, o cumprimento de parte da pena no regime anterior, além de apresentar bom comportamento carcerário, apresentando mérito para a progressão”.

Além disso, ele citou o resultado de um teste psicológico feito na detenta e falou que ela precisa passar mais tempo por uma “terapêutica penal”. “Se concluiu ser prematura a concessão do benefício pretendido, pois o sentenciado não demonstra possuir maturidade suficiente para o cumprimento da pena no regime intermediário. Necessita permanecer mais tempo no regime mais rigoroso, com comportamento apto a indicar que não voltará a delinquir, e a demonstrar que tem aproveitado a terapêutica penal, podendo, com isso, gradativamente retornar ao convívio social”.

No laudo, um psicólogo atestou que Suzy possui atitudes infantis e senso ético comprometido. “Apresenta atitude subjetiva inadequada, infantilidade, demonstrando baixa capacidade para suportar frustrações. É ansioso. Apresenta memórias com lacuna, senso ético comprometido, imaturidade afetiva”, escreveu o profissional. “Necessitando uma maior absorção de valores éticos e sociais para que possa amadurecer psicossocialmente”.

Continua após a publicidade

 

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.