Imagem Blog

Poder SP - Por Sérgio Quintella Materia seguir SEGUIR Seguindo Materia SEGUINDO

Sérgio Quintella é repórter de cidades e trabalha na Vejinha desde 2015
Continua após publicidade

Prefeitura planeja transporte por barcos na represa de Guarapiranga

Enquanto aguarda aval para começar o Aquático-SP na Billings, gestão inicia nova proposta que ligará o bairro Jardim Vera Cruz à Avenida Atlântica

Por Sérgio Quintella Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
1 mar 2024, 06h00

Apesar do atraso para inaugurar o primeiro sistema de transporte público sobre águas de São Paulo, o Aquático-SP, na Represa Billings, a prefeitura já começa a tirar do papel uma ideia ainda mais ambiciosa: uma travessia por barcos na vizinha Guarapiranga. Com cerca de 11 quilômetros de extensão — o da Billings, previsto inicialmente para setembro do ano passado, irá percorrer só 3 quilômetros —, o novo projeto aquaviário vai ligar o bairro Jardim Vera Cruz, quase na divisa com Itapecerica da Serra, à Avenida Atlântica, próxima à Ponte do Socorro e com diversas opções de transporte público no entorno.

De ônibus, o trajeto leva atualmente ao menos uma hora e meia e passa por quase toda a Estrada do M’Boi Mirim, uma das mais extensas da metrópole. Com a nova proposta, a travessia durará por volta de meia hora. O projeto da Guarapiranga está no começo. A prefeitura ainda analisa questões como o mapa das estações e o local exato de embarque e desembarque na ponta final do trajeto, em Interlagos.

No outro extremo, o espaço escolhido foi o Clube Náutico Guarapiranga, no final da Avenida dos Funcionários Públicos, área de mais de 300 000 metros quadrados que pertence à prefeitura (veja o mapa abaixo). A expectativa é que o sistema esteja pronto para a navegabilidade até o fim do ano. “Usaremos a experiência do Aquático da Billings, que começou do zero, para replicá-lo na Guarapiranga”, diz o prefeito Ricardo Nunes (MDB).

transporte-barcos-represas-sp
Trajetos dos transportes por barco (Arte/Veja SP)

Prevista em lei sancionada na gestão de Fernando Haddad, em 2014, a proposta do sistema de transporte aquaviário é de autoria do próprio Nunes, que foi vereador por dois mandatos. A ideia, porém, nunca tinha saído do papel. “Quando Paulo Skaf foi candidato ao governo, em 2014, o projeto foi colocado nos planos dele, mas Skaf não foi eleito. Depois, conseguimos incluir o texto na revisão do Plano Diretor e em outras legislações, mas só com o Bruno Covas a ideia deslanchou”, diz o prefeito — o tema acabou incluído no Plano de Metas da prefeitura em 2021, época em que Nunes era vice-prefeito.

Prestes a ser anunciada oficialmente, a empreitada na Guarapiranga provoca alguma inquietação em quem utiliza o manancial. “O projeto é bem-vindo, mas os barcos precisarão ser bem menores, pois uma embarcação grande, como a da Billings, vai atrapalhar a vida que a represa ainda tem”, diz um especialista na Guarapiranga que pediu anonimato. Ele se refere, por exemplo, aos diversos campeonatos náuticos que ocorrem ali. “Até agora a prefeitura não procurou nenhum dos clubes ou das doze marinas do reservatório”, diz.

Continua após a publicidade

+ Conjunto Nacional reúne postais de SP em mostra fotográfica

Para o prefeito, o novo transporte é compatível com a represa, o que seria respaldado por estudos. “Cabe todo mundo na Guarapiranga, o projeto não vai prejudicar ninguém”, ele afirma. Enquanto inclui o Aquático-SP da Guarapiranga na lista de projetos a saírem do papel, a gestão municipal aguarda uma autorização da Marinha para iniciar os testes do barco “irmão”, na Billings, prometido para setembro passado e depois postergado. A expectativa é que o aval saia até o final de março, o que vai permitir o início da operação de testes do projeto.

Até lá, a estação localizada no bairro da Pedreira deve ficar pronta. Do local, sairá uma linha de ônibus elétricos para o Terminal Santo Amaro. Na sexta-feira (23), Vejinha esteve no terminal Pedreira e embarcou no Aquático-SP, ancorado em um acesso da Empresa Metropolitana de Águas e Energia (Emae), que cedeu um terreno para abrigar a estação.

Por fora, o barco se parece com outros catamarãs fechados. Por dentro, a sensação é de estar em um ônibus comum, porém mais largo. Com sessenta poltronas, o Aquático-SP tem espaço para três cadeiras de rodas e seis bicicletas, além de wi-fi e ar condicionado (quente e frio).

aquatico-sp
O interior da embarcação que possui sessenta lugares (Leo Martins/Veja SP)

Em um outro barco, a reportagem seguiu até a estação Cantinho do Céu, que está pronta e aguarda os novos passageiros e tripulantes. Dali sairão linhas de ônibus que integrarão a região aos bairros adjacentes. Quando começar a operar, o Aquático-SP da Billings terá duas embarcações (a segunda está sendo construída) e vai funcionar das 6h às 20h, todos os dias da semana.

Continua após a publicidade
estacao-cantinho-do-ceu-barcos
Estação Cantinho do Céu, próxima ao terminal de ônibus (Leo Martins/Veja SP)

Tema de preocupação de especialistas e frequentadores da Billings, a navegabilidade em períodos de seca não será um problema, afirmam os técnicos da prefeitura. Para a construção das embarcações, foram feitos estudos sobre a profundidade do reservatório nas últimas décadas e, segundo a gestão municipal, os dois barcos conseguiriam passar pelo trajeto mesmo durante as maiores secas históricas.

Publicado em VEJA São Paulo de 1º de março de 2024, edição nº 2882

Compartilhe essa matéria via:

 

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.