Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Memória Por Blog Uma viagem no tempo às décadas passadas por meio de suas histórias, costumes e curiosidades.

A inesquecível cartilha Caminho Suave

Famoso livro de alfabetização teve quase 40 milhões de exemplares em mais de 100 edições

Por Roosevelt Garcia 30 ago 2017, 11h12

Quando a professora Branca Alves de Lima desenvolveu um método de alfabetização baseado em imagens e publicou sua cartilha Caminho Suave em 1948, certamente não fazia ideia do fenômeno que a obra seria. Depois de observar seus alunos, a maioria vinda da zona rural do interior paulista, ela chegou à conclusão que associar imagens às palavras seria uma boa forma de as crianças aprenderem a identificar cada letra, sílaba e vocábulo.

Ela estava absolutamente certa! Caminho Suave foi o livro oficial de alfabetização do Ministério da Cultura por quase cinquenta anos, e mais de 40 milhões de exemplares foram impressos nesse período, tendo um total, até agora, de 132 edições. Não importa se você tem 25 ou 75 anos, a chance de você ter sido um aluno “indireto” da professora Branca é muito grande.

Veja São Paulo/Divulgação

Quando pensamos em nossos primeiros dias de escola, fica difícil lembrar até do nome da professora, que dirá dos nossos primeiros livros. Mas com a Caminho Suave é diferente. Quase todo mundo que usou essa cartilha é capaz de lembrar disso, e até consegue visualizar as letras e sílabas ilustradas com imagens simples, mas muito significativas.

Houve até um material adicional composto de cartazes, carimbos, livros de exercício e até cards, usados como ferramentas de apoio no aprendizado das crianças.

Continua após a publicidade

Veja São Paulo/Divulgação

 

Desde 1995, no entanto, os métodos de ensino mudaram, e a cartilha Caminho Suave não é mais o instrumento oficial de alfabetização do país. Mesmo assim, ainda é publicada e continua vendendo em média 10 000 exemplares por ano.

A Professora Branca felizmente viveu para ver seu método ser adorado e lembrado por milhões de alunos pelo país afora. Ela se foi em 2001, aos 90 anos de idade, com a certeza de ter cumprido seu papel de professora.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Edições da VejaSP liberadas no App Veja de maneira imediata

a partir de R$ 12,90/mês