Imagem Blog

Vinho e Algo Mais

Por Por Marcelo Copello
Especialista na bebida, Marcelo Copello foi colunista de Veja Rio. Sua longa trajetória como escritor do tema inclui publicações como a extinta Gazeta Mercantil e livros, entre eles "Vinho e Algo Mais" e "Os Sabores do Douro e do Minho", pelo qual concorreu ao prêmio Jabuti
Continua após publicidade

Malbec: O tinto argentino mais amado dos brasileiros

Conheça curiosidades sobre a uva e bons rótulos feitos com ela

Por Marcelo Copello
Atualizado em 23 abr 2024, 20h08 - Publicado em 19 abr 2024, 06h00

A malbec é uma cepa originária do sudoeste francês. Teria nascido em Bordeaux há alguns séculos, mas desenvolveu-se mais na região francesa de Cahors, onde é chamada “côt” e tem estilo mais austero. A malbec foi trazida para a Argentina pelo agrônomo francês Michel Pouget, que fundou em 1853 a Quinta Normal de Agricultura, primeira escola de agronomia do país em Mendoza. Dez anos depois, a praga filoxera iniciou sua devastação nos vinhedos da Europa e depois em todo o mundo.

A Argentina é um dos poucos países junto do Chile e do Chipre isentos de filoxera. Desta forma, enquanto a malbec era dizimada pela praga na França, ela iniciava sua trajetória de expansão na Argentina, ao mesmo tempo em que, no final do século XIX, a vitivinicultura argentina experimentou um desenvolvimento exponencial com a chegada dos imigrantes italianos e mais franceses.

Em 1962, pouco mais de 100 depois de ser trazida ao país, a malbec se tornou a cepa mais plantada da Argentina, com mais de 58 000 hectares de vinhedos, ou 22,5% do total nacional. Logo depois, em 1974, aconteceu a primeira exportação de um vinho varietal de malbec com destino aos Estados Unidos.

Outros marcos importantes da malbec foram, em 1991, a criação da D.O.C. Lujan de Cuyo (em Mendoza), primeira denominação de origem da América do Sul implementada para impulsionar e proteger o desenvolvimento da uva em nível global. Hoje, a malbec é cultivada em todas as províncias argentinas, mas é em Mendoza que ela predomina, onde se concentra com 85% da área plantada do país.

Embora se preste a uma diversidade de estilos, desde rosados, espumantes, passando por tintos jovens e frescos, a malbec que conquistou os brasileiros tem perfil parrudo. O malbecão padrão seria um vinho de cor muito escura, em tons violáceos, com aromas de fruta negras maduras, como ameixas e amoras, e uma típica nota floral de violetas.

No paladar, seria encorpado, macio, com taninos maduros e aveludados, com acidez moderada e passagem por carvalho novo. Caiu nas graças de consumidores do mundo inteiro e ganhou até um dia para chamar de seu, o 17 de abril, desde 2011.

Continua após a publicidade

Mas brasileiros, em especial os paulistanos, fãs incondicionais da bebida, podem dizer que todo dia é dia de malbec. Saúde!

Humberto Barberis Gran Reserva Malbec 2017 Da Bodega Barberis, de Lujan de Cuyo, em Mendoza. 100% Malbec com catorze meses em barricas. Rubi escuro violáceo. Aroma intenso, com fruta bem madura e madeira na frente, ameixa preta, chocolate, baunilha, tabaco. Paladar encorpado, boa estrutura de taninos doces, acidez correta. Típico e bom malbec argentino. Sugiro decanter uma hora. R$ 194,00, na Wine.

Progreso Malbec-Syrah 2020 Da Fecovita, maior grupo vinícola da Argentina. Um blend de malbec com syrah, sem passagem por madeira. Cor vermelha rubi, entre clara e escura. Aroma fresco e frutado, com notas de frutas negras, como cereja e amora. Paladar médio corpo, com 13,6% de álcool. R$ 119,90, na Evino.

Clos de Los Siete 2020 A vinícola Clos de los Siete, do famoso enólogo francês Michel Rolland, fica no Vale de Uco. Elaborado com 55% malbec, 16% merlot, 15% cabernet sauvignon, 9% syrah, 3% petit verdot e 2% cabernet franc. Rubi-granada escuro. Aroma frutado e amadeirado, com cereja preta, chocolate, especiarias. Paladar de bom corpo, macio, taninos doces, equilibrado. R$ 188,12, na Wine.

Publicado em VEJA São Paulo de 19 de abril de 2024, edição nº 2889

Continua após a publicidade

BAIXE O APP COMER & BEBER E ESCOLHA UM ESTABELECIMENTO:

IOS: https://abr.ai/comerebeber-ios

ANDROID: https://abr.ai/comerebeber-android

Compartilhe essa matéria via:

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de R$ 39,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.