Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Barbara Demerov Filmes e Séries - Por Barbara Demerov Aqui você encontra críticas, entrevistas e as principais novidades sobre o mundo do cinema e do streaming

Quase cinquenta anos depois, estreia a sequência de O Massacre da Serra Elétrica

O Massacre da Serra Elétrica: o Retorno de Leatherface esta disponível na Netflix; novo longa não chega aos pés do original

Por Barbara Demerov Atualizado em 24 fev 2022, 13h20 - Publicado em 25 fev 2022, 06h00

Além de refilmagens, sequências de histórias que fizeram sucesso há algumas décadas continuam na moda. O Massacre da Serra Elétrica: o Retorno de Leatherface, disponível na Netflix, é a síntese desse interesse em reaproveitar conceitos a fim de introduzir novos públicos a um universo já montado.

No entanto, o resultado final do longa, dirigido por David Blue Garcia, não chega aos pés do original, O Massacre da Serra Elétrica, lançado em 1974. Na trama, Melody (Sarah Yarkin) leva sua irmã, Lila (Elsie Fisher), a uma cidade fantasma chamada Harlow, no Texas.

+ Com Tom Holland, Uncharted tem potencial para uma franquia de sucesso

O intuito de Melody e seus amigos, todos empreendedores, é reestruturar o local. Eles estão animados com o potencial de leiloar propriedades antigas e criar uma área moderna, mas não é dessa forma que as coisas evoluem. O grupo logo descobre que, naquela pacata cidade, o assassino Leatherface ainda vive.

Praticamente cinquenta anos após cometer macabros crimes com sua serra elétrica, o homem ressurge das sombras e, mais uma vez, se mostra imbatível. Com uma parcela nostálgica, o filme do gênero slasher reapresenta a personagem Sally, única sobrevivente de 1974.

Continua após a publicidade

Agora interpretada por Olwen Fouéré, ela investiga as novas mortes que acontecem de forma rápida e ajuda os forasteiros a enfrentar o grande vilão. Apesar de a premissa parecer interessante, na prática O Retorno de Leatherface não traz uma atualização relevante, pois as situações sempre caem em terrenos nada audaciosos e os assassinatos não ajudam a construir uma narrativa.

Pelo contrário: eles são apenas extremamente sangrentos e violentos, ganhando mais atenção do que a narrativa principal. os fãs de terror podem gostar do show de horrores, mas o roteiro não sai do plano raso.

+Assine a Vejinha a partir de 12,90. 

Publicado em VEJA São Paulo de 2 de março de 2022, edição nº 2778

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)