Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Barbara Demerov Filmes e Séries - Por Barbara Demerov Aqui você encontra críticas, entrevistas e as principais novidades sobre o mundo do cinema e do streaming

Maligno é um dos exemplares mais certeiros do terror recente

Longa dirigido por James Wan (Invocação do Mal) está disponível na HBO Max e se aprofunda no horror psicológico

Por Barbara Demerov Atualizado em 4 nov 2021, 14h59 - Publicado em 5 nov 2021, 06h00

Maligno, filme dirigido por James Wan (Invocação do Mal), está disponível na HBO Max após ser exibido nos cinemas e é um dos exemplares mais certeiros do terror recente. Na trama, a protagonista Madison (Annabelle Wallis) se envolve em diversos casos de assassinatos brutais ao ter sonhos assustadores no momento em que eles acontecem. De início, ela não compreende sua ligação com os atos de violência, mas aos poucos vai recuperando algumas memórias que escondeu em seu próprio passado e relembra o que uma entidade chamada Gabriel é capaz de fazer.

Para impedir a misteriosa criatura de agir de maneira desenfreada, Madison tem o apoio da irmã, Sydney (Maddie Hasson), e de detetives dispostos a encontrar o assassino de uma vez por todas. Quando as informações vão se juntando como se formassem um enorme quebra-cabeças, a atmosfera em destaque é a do horror.

Wan, que possui títulos conhecidos em seu currículo — da franquia Jogos Mortais ao grandioso universo do herói Aquaman, da DC Comics —, mergulha profundamente no potencial que o gênero carrega quando este é bem trabalhado nas ambientações e, especialmente, na construção da tensão. As surpresas ao longo da narrativa não são poucas, mas cada uma delas faz sentido na conclusão da produção. O mesmo vale para as sequências que não economizam na violência e no sangue.

Todos os elementos combinados em Maligno constituem uma experiência intensa, amedrontadora e surpreendente. O diretor capricha na apresentação da ampla casa de Madison, assim como no hospital psiquiátrico que explora as origens de Gabriel.

Como resultado, o espectador passeia por referências indiretas a obras clássicas que marcaram gerações, como O Bebê de Rosemary e O Exorcista, de um jeito singular, que nunca retira a originalidade da história. No entanto, o último ato também dá espaço para eventos que testam a razão dos próprios personagens — algo um tanto esperado em histórias sobre assombrações. O diferencial, aqui, é a capacidade de Wan em entregar boas camadas de terror psicológico.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90.

Publicado em VEJA São Paulo de 10 de novembro de 2021, edição nº 2763

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)