Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Barbara Demerov Filmes e Séries - Por Barbara Demerov

Bar Doce Lar, dirigido por George Clooney, funciona mas não engaja

Com Ben Affleck no elenco, longa disponível no Amazon Prime Video é baseado em livro homônimo do escritor e J.R. Moehringer

Por Barbara Demerov Atualizado em 13 jan 2022, 17h55 - Publicado em 14 jan 2022, 06h00

✪✪✪ George Clooney na direção, Ben Affleck entre os protagonistas e o premiado roteirista William Monahan (vencedor do Oscar por Os Infiltrados). A escalação é promissora, mas Bar Doce Lar, filme do Amazon Prime Video, não é exatamente um arrasa-quarteirão.

Com ritmo cadenciado e uma trama que pouco foge do convencional, o drama, inspirado no livro de J.R. Moehringer, narra a infância e a juventude do autor, entre as décadas de 70 e 80.

+ The Batman, Top Gun 2 e mais: os filmes mais aguardados de 2022

Filho de pai ausente, o garoto (interpretado inicialmente por Daniel Ranieri, e depois por Tye Sheridan) vive na casa dos avós (Sondra James e Christopher Lloyd, o inesquecível Doc Brown em De Volta para o Futuro), ao lado da mãe (Lily Rabe) e do tio Charlie (Affleck). Este é seu principal conselheiro e dono do bar onde acontece boa parte da ação.

A relação entre J.R. e Charlie, que assume o papel de figura paterna, é o ponto alto do filme, alternando momentos de humor e cenas mais sérias. Porém, conforme o personagem central sai do ninho para começar a faculdade, se apaixonar e passar pelas primeiras experiências como escritor, a impressão é que a história perde profundidade.

Continua após a publicidade

Para compensar a falta de engajamento emocional, a trilha sonora apela fortemente à nostalgia, incluindo sucessos do rock americano da época, numa tentativa de aproximar o público do filme. Funciona, mas Clooney (diretor do ótimo Boa Noite e Boa Sorte) poderia ter feito mais.

+Assine a Vejinha a partir de 12,90. 

Publicado em VEJA São Paulo de 19 de janeiro de 2022, edição nº 2772

Continua após a publicidade

Publicidade