Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
macarinbs.jpeg Delícia de Conta Por Comidinhas Dicas de comidinhas com bom custo-benefício e notas sobre promoções que agradam tanto o paladar quanto a carteira

Nhoque de jeitão caseiro para quem almoça no centro

Quando janeiro vai chegando ao fim, é hora de voltar à rotina. Mas isso não significa necessariamente almoçar a mesma coisa de sempre, no mesmo lugar de sempre. Se você trabalha no centro, escolha uma quinta-feira para provar o delicado nhoque do Café da Sogra (Rua Senador Feijó, 163). O lugar é simples, com ventiladores funcionando […]

Por Sophia Braun Atualizado em 27 fev 2017, 11h30 - Publicado em 31 jan 2013, 06h00

Nhoque ao molho de tomates: tão delicado que parece feito em casa (Foto: Sophia Braun)

Quando janeiro vai chegando ao fim, é hora de voltar à rotina. Mas isso não significa necessariamente almoçar a mesma coisa de sempre, no mesmo lugar de sempre. Se você trabalha no centro, escolha uma quinta-feira para provar o delicado nhoque do Café da Sogra (Rua Senador Feijó, 163).

O lugar é simples, com ventiladores funcionando a todo vapor no teto, mas vive lotado de engravatados. É gente que circula pela região da Sé, em geral juristas — não à toa quem me levou ali foi um advogado — e que bate ponto por lá na hora do almoço.

Preparada lá mesmo, massa de batatas parece caseira — receita da nonna, sabe? A porção bem-servida ao molho de tomates na companhia de um filé de peixe, de frango ou carne assada custa R$ 17,50. Quem preferir, pode trocar o grelhado por molho à bolonhesa ou de calabresa moída. Mas, lembre-se: o prato só entra em cartaz às quintas.

Acompanhado de um filé de peixe: servido às quintas por R$ 17,50 (Foto: Sophia Braun)

Continua após a publicidade

Nos demais dias da semana, outras especialidades marcam presença no cardápio: segunda tem virado à paulista; terça bife à rolê; às quartas há feijoada; e às sextas pescados. Tudo isso pelos mesmos R$ 17,50.

Apesar da grande estrela do cardápio ser o nhoque, os proprietários não são italianos. Imigrantes portugueses, os irmãos Daniel, Manoel e Dalmo Caldas comandam o pedaço desde 1971. Eles estão sempre no salão, seja servindo as mesas ou cuidando do caixa.

Na hora de fazer o pedido ou de pagar a conta, vale a pena puxar papo com eles. Só não entre no assunto futebol com esse trio de torcedores da Portuguesa, ou a conversa será longa!

S.B. 

Veja também:

+ Comida árabe gostosa e baratinha no centro
Um pratão de lasanha à bolonhesa por R$ 10,00
+ Ostras abertas na hora dentro do Mercado Municipal

Continua após a publicidade

Publicidade