Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês
Últimas de São Paulo Por Blog Notícias quentes e bastidores da cidade

Ao Vivo – Manifestações de 17 de abril

Manifestações pró e contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff se espalharam por todo o Brasil hoje (17/4) , quando o plenário da Câmara irá decidir sobre o processo. A votação será transmitida ao vivo pela TV. Na capital, o ato a favor do afastamento será na Avenida Paulista. O movimento Vem Pra Rua marcou a concentração para […]

Por Tatiana Izquierdo Atualizado em 26 fev 2017, 13h19 - Publicado em 15 abr 2016, 21h25

Manifestações pró e contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff se espalharam por todo o Brasil hoje (17/4) , quando o plenário da Câmara irá decidir sobre o processo. A votação será transmitida ao vivo pela TV.
Na capital, o ato a favor do afastamento será na Avenida Paulista. O movimento Vem Pra Rua marcou a concentração para as 14h na esquina com a Rua Pamplona, onde estará o carro de som com dois telões para a transmissão da votação no Congresso. No evento oficial no Facebook, o ato conta com 258 mil adesões até a manhã deste domingo (17). O Movimento Brasil Livre também está chamando para o ato no Paulista, com caminhão e telões próprios.

Os atos pró-governo, organizados pelos grupos Frente Brasil Popular e Povo sem Medo, que inclui a Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Nacional de Estudantes (UNE) e União Brasileira de Mulheres (UBM), começaram às 10h no Vale do Anhangabaú.

/*<![CDATA[ */
setTimeout(function(){live_blogging_poll("2725");}, 15000)
/*]]>*/

  • 23h07
    VEJA SÃO PAULO

    Presidente do PSDB de Pernambuco, o deputado Bruno Araújo deu o voto que garantiu o prosseguimento do processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff. O requerimento agora segue para o Senado. Caso os senadores julguem procedente o processo, a petista deverá ser afastada do cargo por 180 para que o processo seja analisado e julgado. Se for constatada irregularidades (ela é acusada de crime de responsabilidade fiscal), ela perde o mandato e fica inelegível por oito anos.

  • 23h02
    VEJA SÃO PAULO

    paulista4

    “Eu sou brasileiro, com muito orgulho, com muito amor”, cantam manifestantes pró-impeachment na Paulista.

  • 21h28
    VEJA SÃO PAULO

    Após dar seu voto no plenário da Câmara, o deputado Jean Wyllys (PSOL-RJ) cuspiu em direção ao parlamentar Jair Bolsonaro (PSC-RJ). Wyllys, no entanto, não acertou o alvo, segundo Bolsonaro. Durante a votação, Wyllys mostrou-se irritado contra a abertura de processo de impeachment e condenou as falas de Bolsonaro, que exaltou o coronel Carlos Alberto Ustra, morto em 2015, e reconhecido pela Justiça como torturador durante o regime militar. Ao deixar o púlpito, Wyllys chamou os opositores de “canalhas”.

     

    Confira o momento:

  • 20h05
    VEJA SÃO PAULO

    O deputado federal Tiririca guardou segredo sobre seu voto até o último minuto. Mais votado parlamentar do Estado, ele votou sim pelo impeachment.  Aos gritos de “palhaço” e “vai, abestado”, pelos manifestantes em frente ao Masp, o deputado foi bastante aplaudido após votar “sim”. Em frente ao carro do Vem Pra Rua também houve muita comemoração com a decisão de Tiririca de apoiar o impedimento. O voto, claro, motivou uma série de piadas na internet. Confira algumas:

  • 19h24
    VEJA SÃO PAULO

    huck3

    Apoiador do tucano Aécio Neves (PSDB) nas eleições de 2014, o apresentador Luciano Huck postou, neste domingo (17), uma mensagem sobre o momento político pelo qual o país está passando. Em seu perfil no Facebook, Huck afirmou que o Brasil precisa de novas ideias, mas não revelou se é a favor ou contra o impeachment da presidente Dilma Rousseff (PT). “Tenho opinião, mas não vou compartilhar aqui hoje porque não é dia”, escreveu.

    O global pediu tolerância aos brasileiros. “A mensagem que quero compartilhar hoje é que seja um domingo de paz. Que impere a certeza que o diferente de você não é seu inimigo, apenas pensa diferente. Nem certo nem errado. Diferente”, afirmou. “Que este domingo nos leve para águas mais calmas, tranquilas e prósperas, sejam elas quais forem. Porque agora está uma m… para todos.”

    A crítica dividiu os internautas. “Você não precisa opinar. Você precisa ler mais a história”, escreveu um usuária da web. “Luciano, o que me deixa triste e que vai sair um partido corrupto e vai entrar outro. Isso é uma falta de respeito com os brasileiros”, disse outro.

    Confira a íntegra:

    Tenho opinião. Mas não vou compartilha-la hj aqui, pq não é o dia.
    Ter opinião na atual conjuntura do Brasil, significa estar “contra” ou “a favor”. Não tem conversa, troca de idéias e afins; ou vc é ou vc não é. Ou te xingam ou te aplaudem. Não tem meio termo.
    Para mim “trocar idéias” com alguém, é de fato uma troca, se achar que a outra idéia faz mais sentido que a minha original, eu troco. Isso faz parte do processo de maturidade, de sabedoria, de construção de novas idéias.
    O Brasil esta precisando de novas idéias, novos caminhos, resignificar a palavra “política”, que hj vem atrelada a corrupção, falta de boas práticas, falta de ética, falta de respeito pelo dinheiro público, falta de projetos inspiradores, faltas que não acabam mais.
    E não estou falando de fulano, sicrano ou beltrano. Estou falando do conjunto da obra.
    A mensagem, que sim quero compartilhar hoje, neste domingo histórico para a democracia brasileira; é que seja um domingo de paz, um domingo onde impere a certeza que o diferente de vc, não é seu inimigo, apenas pensa diferente. Nem certo, nem errado, diferente.
    Que este domingo nos leve para águas mais calmas, tranquilas e prósperas sejam elas quais forem. Pq do jeito que esta, esta uma m… Para todos.

     

     

  • 19h11
    VEJA SÃO PAULO

    Na Avenida Paulista, em frente ao Masp, houve confusão, que logo foi apartada pela PM, chamada pelos coordenadores do MBL. Manifestantes chegaram a se agredir, mas foram separados.

  • 19h11
    VEJA SÃO PAULO

    No Anhangabaú, organização pede calma e que não haja violência ao fim da votação. Manifestantes ouvem os votos em silêncio, enquanto alguns já deixam o local. Já na Paulista, na altura do prédio da Fiesp, houve um pequeno corre-corre em direção à Rua da Consolação. Segundo relatos de ambulantes, foi uma tentativa de assalto. A polícia chegou quando o pessoal já tinha dispersado, mas não confirma nada.

  • 19h04
    VEJA SÃO PAULO

    Ao lado do caminhão do Movimento Brasil Livre, espetinho de churrasco a 4 reais. A comemoração ocorre ao estilo de final de Copa do Mundo quado deputados votam a favor do impeachment. Nos “nãos”, os manifestantes apontam os dedos médios para os telões.

    churrasco

  • 18h10
    Helena Galante

    Na Avenida Paulista, manifestantes celebram votos “sim”.

    Continua após a publicidade

    sim

     

  • 17h09
    VEJA SÃO PAULO

    brigadeiropaulista

    Sem emprego desde outubro do ano passado, quando foi mandada embora de uma empresa de e-commerce (web motors), Carolina Aguiar, de 38 anos, aproveita a manifestação para vender os brigadeiros que ela mesma faz. “Hoje já foram 124 brigadeiros. Faltam só mais seis. Vou ter que ir para casa para pegar mais 80 e voltar para cá”, conta Carolina, que está na Avenida Paulista desde as 12 horas.

  • 16h27
    VEJA SÃO PAULO

    Paulinho da Força (Solidariedade) discursou na Câmara dos Deputados na tarde deste domingo (17). Antes de encerrar sua fala, o deputado cantou um música cuja letra pede que a saída da presidente. “Dilma vai embora que o Brasil não quer você. E leve o Lula junto e os vagabundos do PT”.

    Confira o vídeo abaixo:
    [youtube https://www.youtube.com/watch?v=DLY69K-BPgk?feature=oembed&w=500&h=281%5D

  • 16h21
    Helena Galante

    Manifestantes carregam estandartes do ministro Joaquim Barbosa e o juiz Sérgio Moro.

    estandarte

  • 14h44
    Helena Galante

    Ambulantes reclamam das vendas neste domingo (17). “Estão bem fracas”, diz o ambulante Jessé, de 21 anos. O vendedor, que está na Paulista desde as 6 horas, faturou apenas 20 reais. Na manifestação do dia 13 de março, chegou a ganhar 500 reais.

  • 13h44
    VEJA SÃO PAULO

    Muitos ambulantes aproveitaram a reunião dos movimentos populares na Avenida Paulista para diminuir o estoque de camisetas da seleção e bandeiras que sobraram desde a Copa do Mundo. É o caso de Valdir Bezerra, 46 anos, que diz vender camisetas desde a Copa de 1994. Com uma faixa “Fora Dilma e leva o PT com você” na cabeça, ele afirma não estar a caráter apenas para aumentar as vendas. “Dilma já deu. Não ganho bolsa nem auxílio nenhum, então posso o que penso”, diz. As camisetas da seleção custam 20 reais e os bandeirões 50 reais. “Na Copa, a gente vende muito mais do que em protesto. Ainda não vendi nada, mas o pessoal está começando a chegar agora”. Na Avenida Paulista, o preço de um Pixuleco varia de 10 a 20 reais, a depender do tamanho.

  • 13h28
    VEJA SÃO PAULO

    carretafuracao

    Cauê Del Valle, um dos coordenadores do MBL, confirmou algumas das atrações do trio do movimento. Às 14h, a banda Ted Marengos vai abrir o trio. Já confirmaram presença Lobão, o comentarista Marco Antônio Vila e o professor de filosofia Paulo Cruz. Entre os humoristas estão Cris Paiva, Rogério Vilela, Leo Lins, David Mansur, Danilo Gentili (que se apresentará à noite), Felipe Hamachi, Nil Agra e Zé Luís Martins. Integrantes do humorístico Pânico na Band farão esquetes. Márcio Lúcio, o Carioca, traz seu personagem Dilma do Chefe para o evento. Atração mais aguardada, Carreta Furacão chega a São Paulo às 15h e vem direto para a Avenida Paulista.

  • 13h19
    Helena Galante

    Na Consolação, ambulante vende bandeira do Brasil por 50 reais e camiseta, a 20 reais.

    bandeira

  • 13h17
    Helena Galante

    Protesto pró-governo no Anhangabaú ainda está disperso, com poucos manifestantes.cut

  • 13h14
    Helena Galante

    Manifestantes no Anhangabaú carregam boneco do juiz Sergio Moro com os dizeres “traidor e golpista”.

    sergio moro

  • 13h12
    Helena Galante

    Integrantes da CUT informaram que a presença de Lula no protesto não faz  parte da programação.

  • 12h23
    Helena Galante

    Movimento Vem Pra Rua promete transmitir a votação a partir das 14h. Montagem do telão ainda não foi concluída.

  • 12h17
    Helena Galante

    Em ato irônico, MBL distribui coxinhas para manifestantes que acompanham a votação em frente ao trio do movimento.

    coxinha

  • 12h01
    Helena Galante

    Boneco com o rosto de Dilma mascarado começa a ser inflado na Paulista.dilma 2

  • 11h20
    Helena Galante

    Um rapaz foi detido pela polícia na Avenida Paulista, neste domingo (17), acusado de cortar o pato inflável da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP). A figura é símbolo da entidade para a campanha “Não vou pagar o pato – diga não ao aumento de impostos”. Após entrar na região do prédio da Fiesp, o acusado atravessou para o outro lado da via, de acordo com testemunhas. A polícia foi acionada e revistou o rapaz. Segundo policiais, ele portava uma faca. O suspeito foi algemado e encaminhado para a 78ªDP (Com Estadão Conteúdo).

  • 11h14
    Helena Galante

    Manifestantes favoráveis ao impeachment da presidente Dilma Rousseff se reúnem em frente à Fiesp, na Avenida Paulista. Pato amarelo, símbolo de outros protestos contra o governo, começa a ser inflado.

    pato

  • 11h08
    Helena Galante

    Eduardo Suplicy chega a manifestação pró-governo no Anhangabaú. Perguntado se está confiante para a votação,  disse: “Não sei, está difícil. Honestamente, prefiro não acreditar que isso possa acontecer. Com tudo o que fez, o Temer não pode assumir a presidência.” Entre pedidos de selfies dos manifestantes, acrescentou ter confiança no desempenho da presinte Dilma Rousseff. “Tenho certeza que a Dilma tem condições de se recuperar e colocar o Brasil nos trilhos”.

    suplicy

  • 11h03
    Helena Galante

    Linha 4 do Metrô está praticamente parada. O intervalo de circulação entre os carros é de mais de 20 minutos.

  • 20h29
    Tatiana Izquierdo

    Manifestações de 17 de abril têm início em São Paulo

  • Continua após a publicidade
    Publicidade

    Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

    Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

    Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

    MELHOR
    OFERTA

    Digital

    Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

    Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

    a partir de R$ 9,90/mês

    ou

    30% de desconto

    1 ano por R$ 82,80
    (cada mês sai por R$ 6,90)

    Impressa + Digital

    Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

    Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

    Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

    a partir de R$ 19,90/mês