Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Bichos Tudo sobre o mundo pet

Manchinha, cachorro morto no Carrefour em 2018, ganha monumento

Estátua foi inaugurada no Pet Park de Osasco; projeto é do instituto que leva nome do animal

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 29 nov 2021, 16h04 - Publicado em 29 nov 2021, 15h59

O cachorro Manchinha, que foi morto em 2018 por um segurança do supermercado Carrefour, ganhou uma homenagem no Pet Park  de Osasco. A inauguração foi neste domingo (28), exatamente 3 anos após o caso.

+ Motoqueiro ataca com spray de pimenta grupo de mulheres ciclistas

O monumento foi um projeto do Instituto Manchinha, que apoia ONGs de proteção animal e protetoras independentes. Manchinha foi morto após ser envenenado e depois espancado.

O legado Manchinha continua, abrindo portas para os direitos dos animais e para que os maus tratos sejam vistos cada vez mais como uma coisa abominável”, escreveu a ONG em suas redes sociais.

Na época, a rede Carrefour divulgou uma nota afirmando que “um funcionário de empresa terceirizada tentou afastá-lo da entrada da loja e imagens mostram que esta abordagem pode ter ocasionado um ferimento na pata do animal”.

A Prefeitura de Osasco, porém, respondeu à nota afirmando que “o animal deu entrada consciente no departamento em decúbito lateral (deitado de lado), mucosas anêmicas, hipotensão severa (pressão baixa), hipotermia intensa, hematêmese (vômito com sangue) e escoriações múltiplas”. Em depoimento, o segurança confessou que agrediu Manchinha com uma barra de ferro.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90.

Continua após a publicidade

Publicidade