Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês
Arte ao Redor Mostras selecionadas estão reunidas nesta página

“É uma atitude de vanguarda”, diz Kobra sobre mural declarado Patrimônio Cultural

Obra de 22 metros de altura por 11 de largura foi produzida na lateral de um colégio de Sorocaba, no interior de São Paulo

Por Tomás Novaes Atualizado em 13 Maio 2022, 17h52 - Publicado em 13 Maio 2022, 16h49

Foi aprovado neste mês em Sorocaba, interior paulista, o Projeto de Lei (PL) de número 79/2022, que declara o mural do artista Kobra inaugurado na cidade em janeiro como patrimônio cultural imaterial do município.

+ Projeto inédito traz exposição sobre Egito para Heliópolis

A obra de 22 metros de altura por 11 de largura foi produzida na lateral do Colégio Ser!, no bairro do Parque Campolim. “É muito simbólico esse trabalho receber esse reconhecimento. Eu sinceramente espero e acredito que esse seja o início de uma história que possa se repetir por muitas e muitas vezes. É uma atitude de vanguarda”, disse Eduardo Kobra em entrevista à Vejinha.

View this post on Instagram

A post shared by Eduardo Kobra (@kobrastreetart)

Para o artista, ações como essa são bem-vindas e podem abrir discussões maiores sobre a arte pública. “A street art por muitas vezes foi colocada como efêmera, como algo que pode ser simplesmente removido ou apagado, ou pintado por cima. Eu tenho feito movimentos inclusive para restaurar murais que eu tenho feito na cidade”, disse Kobra, citando o restauro de seu mural em homenagem ao piloto Ayrton Senna, localizado na Consolação, na capital paulista.

Continua após a publicidade

“Da mesma forma que a gente entra num museu, numa galeria, e vê obras super antigas ali – é porque elas estão sendo cuidadas, preservadas. Por que não pensar da mesma maneira em relação à arte de rua?”, disse o artista, que tem um filho de 5 anos. “Eu gostaria que ele pudesse contemplar, ver essas obras”.

Como exemplo da visão que nomeou como “descartável” da arte de rua, Kobra também disse que a grande maioria das suas obras não existem mais. “Eu posso falar com toda certeza que mais de 90% do que eu produzi já não existe mais – ou foi apagado, ou foi removido, ou mudou o proprietário do espaço e apagaram. Eu tenho isso registrado em fotos, mas seria mais legal se as obras estivessem lá”, conta.

  +Assine a Vejinha a partir de 12,90.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Para entender e curtir o melhor de SP, Veja São Paulo. Assine e continue lendo.

Impressa + Digital

Plano completo da VejaSP! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Receba semanalmente VejaSP impressa mais acesso imediato às edições digitais no App Veja, para celular e tablet.

a partir de R$ 19,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da VejaSP, diariamente atualizado.

Resenhas dos melhores restaurantes, bares e endereços de comidinhas de São Paulo.

Edições da VejaSP liberadas no App Veja de maneira imediata

a partir de R$ 12,90/mês