Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Volta às aulas na capital será em 2 de agosto com 100% dos estudantes

A exceção são as creches, que poderão receber até 60% dos alunos; a presença física continua opcional e em sistema de rodízio

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 20 jul 2021, 15h11 - Publicado em 20 jul 2021, 15h10

A partir do dia 2 de agosto as escolas da capital paulista vão poder funcionar com 100% dos alunos. A exceção são as creches, em que o limite será de 60% dos alunos. A prefeitura disse que as escolas que não tiverem condições para retomar as atividades presenciais com 100% dos estudantes poderão dividir os alunos em salas diferentes.

“Continuamos seguindo a recomendação da [secretaria municipal de] Saúde. No caso da CEIs, que são as creches, de zero a três anos, haverá uma limitação de 60%. Não há rodízio, portanto há essa limitação”, afirmou o secretário municipal da Educação, Fernando Padula.

Ainda segundo ele, as crianças e adolescentes deverão respeitar o distanciamento de 1 metro e usar máscaras. A presença dos estudantes continua opcional e os alunos com comorbidade, segundo Padula, devem manter as atividades no ensino remoto.

“Cada escola fará sua organização, de acordo com o número de alunos e o tamanho e metragem dessa escola. Vale lembrar que os alunos com alguma comorbidade devem ficar em casa. E continua valendo a lei municipal dizendo que a ida presencial do aluno à escola é uma decisão deles”, afirmou.

A imagem mostra um cartão explicativo sobre a volta às aulas na capital
Rodízio de alunos da volta às aulas da capital Reprodução/Veja SP
  • Continua após a publicidade
    Publicidade