Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Vítimas de Covid-19 são homenageadas com memorial na Praça Roosevelt

Despedida e cortejo têm arte pintada em muros e cataventos que representam cada uma das 38 000 vítimas da doença na cidade

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 3 out 2021, 10h12 - Publicado em 3 out 2021, 10h11

Um Memorial de Despedida vai homenagear vítimas de Covid-19 na Praça Franklin Roosevelt, região central da capital paulista. As 38 000 pessoas que morreram da doença na cidade de São Paulo serão representadas por cataventos instalados na praça a partir deste domingo (3) e as vítimas do restante do país estarão representadas por corações que já foram pintados nos muros da praça. As informações são do portal G1.

As duas ações integram o memorial. A homenagem é realizada pelo MAR (Museu de Arte de Rua), Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo e Prefeitura de São Paulo.

Emoldurando o “jardim de cataventos”, uma arte pintada em mais de mil metros de muros no local, assinada pelas artistas Negana e Carol Carreiro, completa a instalação com desenhos de corações. A ação “Flores para Heróis” já foi pintado pelos artistas. São cerca de 60 000 corações, um a cada 10 000 brasileiros que morreram por conta da Covid-19.

Aos fins de semana, as famílias que visitarem o espaço serão recebidas por monitores e receberão fitas coloridas para que escrevam os nomes das vítimas, que então poderão ser amarradas aos cataventos.

O memorial está previsto para ser encerrado em 2 de novembro. Nessa data, as pessoas poderão levar para casa o catavento correspondente a uma pessoa que partiu, para completar seu próprio ritual de despedida como desejar.

Continua após a publicidade

No domingo (3), a partir das 16h, um cortejo ecumênico percorrerá o entorno da Praça Franklin Roosevelt para homenagear as quase 38 mil pessoas que perderam suas vidas para a Covid-19 na cidade de São Paulo desde o início da pandemia. O evento acompanha a instalação do memorial que permanecerá disponível para visitação até 2 de novembro, Dia de Finados.

O cortejo, que acolherá amigos e familiares das vítimas, começará e terminará na própria praça, tendo início na face voltada para a Rua da Consolação. Ao escurecer, velas serão acesas em tributo.

Os cataventos foram confeccionados por membros da Escola de Samba Vai-Vai, tradicional da região do Bixiga, com material reciclado adquirido com cooperativa Recifavela, da região de Vila Prudente.

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade