Clique e assine com até 89% de desconto

Três mostras para se surpreender nesse fim de semana

Uma delas, no Instituto Tomie Ohtake, revisita produções femininas inéditas do século XIX

Por Julia Flamingo Atualizado em 7 jul 2017, 15h32 - Publicado em 7 jul 2017, 15h31

Bom mesmo é visitar uma exposição que surpreende. Afinal, arte e mesmice (quase sempre) não combinam. As indicações da semana incluem três mostras que indicam novos olhares de curadores e artistas: eles revisitam e desafiam o mundo artístico.

Nu Feminino Sentado de Frente, assinado por Julieta de França Jaime Acioli/Veja SP

Invenções da Mulher Moderna, no Instituto Tomie Ohtake

A mostra reúne peças de ícones femininos como Tarsila do Amaral, Anita Malfatti, Lygia Clark e Lygia Pape, mas ganha pontos, principalmente, por apresentar talentos e produções pouco explorados. Revisitadas pelo curador Paulo Herkenhoff — que iniciou sua pesquisa na área há 25 anos —, histórias de artistas que viveram até o início do século XX compõem o mais curioso núcleo da mostra.

Museu de Arte do Rio (MAR), no clique de Leonardo Finotti Leonardo Finotti/Veja SP

Leonardo Finotti, na Galeria Pilar

Mais de vinte instituições dedicadas à arte em todo o mundo foram registradas pelo respeitado fotógrafo de arquitetura brasileiro Leonardo Finotti e as imagens estão reunidas na série em preto e branco Coleção de Museu.

Origamis de aço assinados por Iole de Freitas Romulo Fialdini/Veja SP

Iole de Freitas, na Galeria Raquel Arnaud

Grandes chapas de aço rígido e resistente foram dobradas como origami pelas mãos de Iole de Freitas. Onze obras (sendo quatro de grandes dimensões) são apresentadas na mostra Dobradura Curva.

Continua após a publicidade
Publicidade