Clique e assine com até 89% de desconto

Suspeito é preso após arrastão no Cemitério da Consolação

O caso foi registrado no 78º Distrito Policial, na Rua Estados Unidos, Jardim América, como furto qualificado

Por Redação VEJA São Paulo 18 fev 2018, 17h18

A Secretaria de Segurança Pública de São Paulo informou que Rafael Arlon dos Santos, de 27 anos de idade, foi preso pela Guarda Civil Metropolitana neste domingo (18) após furtar duas estátuas de bronze do Cemitério da Consolação. A GCM recebeu informações que indivíduos estavam furtando o local e, ao chegar no endereço, viram três homens empurrando uma carroça com as peças de bronze.

Ao ver os guardas, dois suspeitos correram e conseguiram fugir. Um fiscal do cemitério compareceu a delegacia e revelou que os itens roubados possuem mais de 100 anos de idade e são tombados pelo patrimônio histórico da cidade.

Foi realizada a perícia no local e Rafael e as peças de bronze foram encaminhados ao 78º Distrito Policial, na Rua Estados Unidos, Jardim América. O caso foi registrado como furto qualificado e as estátuas foram devolvidas aos representantes do Cemitério da Consolação.

Na madrugada deste sábado (17), nove túmulos foram furtados em arrastão no Cemitério da Consolação. Entre os objetos que desapareceram estavam uma guirlanda de bronze pesando mais de 200 quilos e outros objetos da sepultura do Marquês de Itu.

Continua após a publicidade
Publicidade