Clique e assine por apenas 6,90/mês

Empresas investem em reality culinário para integrar equipes

Inspiradas por programas de competição gastronômica, empresas oferecem treinamento de equipe dentro da cozinha

Por Gabrielli Menezes - 23 nov 2018, 06h00

Times opostos em bancadas equipadas com fogão, liquidificador, batedeira e outros utensílios necessários para a disputa. Os competidores se organizam para desenvolver receitas predeterminadas pelo organizador do reality. O cronômetro é disparado: valendo. Essa poderia ser a descrição de uma prova de algum dos inúmeros programas televisivos de gincana culinária, mas retrata também como grandes empresas — entre elas, Facebook, LinkedIn, Ambev, Votorantim e O Boticário — estão integrando pessoas que trabalham em diferentes países, estimulando a criatividade de seus funcionários ou apresentando um novo gestor. “A cozinha une as pessoas naturalmente”, argumenta Murilo Bonadio, um dos quatro sócios da Welcome Chef, especializada em experiências gastronômicas em ambientes corporativos.

A empresa, fundada em 2015 com a proposta de chef em domicílio, sentiu a demanda pelo novo serviço partir dos próprios clientes e logo mudou de foco. Hoje, oferece dois tipos de programa: a “competição”, na qual grupos competem e têm seus pratos avaliados por um profissional, e o “cooperativo”, quando as equipes, embora separadas em praças, montam um jantar em conjunto. “Conversamos com nossos clientes e decidimos o passo a passo de acordo com o objetivo de cada empresa”, explica Bonadio. O valor da brincadeira é cobrado de acordo com o menu, que vai de hambúrguer a pratos com ingredientes mais sofisticados. Pagam-se, em média, 350 reais por pessoa. Com o sucesso — cerca de cinquenta eventos são realizados por mês —, os donos inauguraram, há um ano, no Brooklin, um espaço próprio com capacidade para receber grupos de até sessenta pessoas.

No Cozinha Marinada: a experiência pode ser acompanhada de conversa em grupo Bruno Geraldi/Veja SP

No Cozinha Marinada, o desafio pode acontecer dentro da casa do casal fundador da empresa. “Nós nos mudamos há três anos e decidimos fazer uma cozinha industrial para atender nossos clientes”, conta Manoela Lebrón, participante da terceira e atual temporada de MasterChef Profissionais, levado ao ar na Band. Ela e o marido, Igor Martins, também chef, desenvolveram o projeto em 2013 e, há três anos, criaram o “Desafio Marinada”, como chamam a dinâmica em que os participantes fazem juntos um menu com entrada, dois pratos principais e duas sobremesas. Outra possibilidade, que fica a cargo do contratante, é ter o acompanhamento de um psicólogo comportamental, que analisa como a equipe se saiu na tarefa, relacionando o resultado da atividade com expectativas internas das empresas.

Grein, da Fábrica de Cupcakes: estrutura móvel e receitas do bolinho Alexandre Battibugli/Veja SP

O confeiteiro Darwin Grein adota o mesmo processo nos eventos que organiza à frente da Fábrica de Cupcakes. A diferença está na receita, que é sempre de cupcake, o bolinho famoso nos Estados Unidos que também se popularizou no Brasil. Além disso, há uma estrutura móvel que possibilita a realização da dinâmica em hotéis, espaços alugados ou dentro da própria empresa. “Eventos como esse fazem com que existam conexão e união. Nós nos sentimos como uma família”, conta a gerente de relacionamento do LinkedIn, Gabriela Noronha, que já contratou a Welcome Chef uma vez. Pausar a rotina e sair do escritório é essencial. “Isso não resolve todos os problemas, mas é um ponto de partida para transformação”, comenta Grein.

Continua após a publicidade
Publicidade