Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

São Paulo antecipa reclassificação do Plano e deve endurecer quarentena

A média móvel de mortes por Covid-19 no estado segue acima de 200 há cinco dias

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 13 jan 2021, 15h37 - Publicado em 13 jan 2021, 15h28

O governo de São Paulo decidiu antecipar a reclassificação do Plano São Paulo: em vez de acontecer no dia 5 de fevereiro, o anúncio será realizado nesta sexta-feira (15). O motivo é a alta no número de internações, novos casos e mortes em decorrência da Covid-19.

Apesar de não ter dado detalhes, a expectativa é de que a gestão endureça a quarentena no estado. Isso porque as antecipações acontecem quando há necessidade de impor medidas mais restritivas para conter o avanço da pandemia – e os indicadores pioraram nos últimos dias.

O estado de São Paulo tem 13.490 pacientes internados por Covid-19 em toda rede hospitalar, o maior valor desde o dia 2 de agosto de 2020. A média móvel de mortes segue acima de 200 há cinco dias.

“Nesta sexta-feira, o governo de São Paulo anunciará uma nova reclassificação do Plano São Paulo tomando como referência estudos que estão sendo finalizados pelo Centro de Contingência do Covid-19, que nós seguimos religiosamente desde o dia 26 de fevereiro desde que tivemos o primeiro caso confirmado”, disse o governador João Doria (PSDB) em coletiva de imprensa.

Atualmente, estão na fase laranja as regiões de Registro, Presidente Prudente, Marília e Socorro. Antes mais restritiva, a etapa sofreu uma flexibilização no último dia 7. O governo também dificultou a escalada à fase verde, a mais liberal. Todas as outras regiões de São Paulo seguem na fase amarela.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade