Clique e assine por apenas 6,90/mês

Professor de colégio de elite acusado de pedofilia tem prisão decretada

Docente de instituição em Pinheiros, segundo informações da Polícia, filmava com câmeras escondidas crianças e adolescentes

Por Redação VEJA São Paulo - 19 Feb 2020, 20h18

Um professor da St. Nicholas School, escola localizada em Pinheiros, na Zona Oeste, teve a prisão preventiva decretada nesta quarta-feira (19) pela Justiça de São Paulo. Ele é investigado por produzir e armazenar pornografia infantil e foi detido na terça (18), na operação Luz da Infância, da Polícia Civil, que resultou em outras dezesseis detenções no estado de São Paulo.

A ação é coordenada pelo Ministério da Justiça. Ivan Secco, de 54 anos, ensinava história e teatro na St. Nicholas. Segundo informações divulgadas pela Polícia Civil, ele escondia câmaras dentro de caixas de remédios e embaixo de cadeiras para filmar embaixo das saias de estudantes, com idades entre 10 e 17 anos de idade. De acordo com depoimento na polícia, ele confessou o caso e disse que é doente e precisa de ajuda.

Segundo informações da Folha de S.Paulo, ele lecionava na escola há 20 anos. Ele foi desligado da instituição, que informou que pretende rever seus processos internos e adota práticas criteriosas para a contratação de profissionais.

 

Publicidade