Clique e assine por apenas 6,90/mês

Prédios do Pátio do Colégio têm fachadas restauradas

Ao custo de 5 milhões de reais, a obra durou um ano

Por por Mauricio Xavier [Com reportagem de Adriana Farias] - Atualizado em 5 Dec 2016, 13h44 - Publicado em 5 Dec 2014, 22h00

Marco de fundação da capital, o Pátio do Colégio está de cara nova.

Dois de seus prédios mais emblemáticos, ambos ocupados pela Secretaria de Justiça e da Defesa da Cidadania, acabam de ter a fachada restaurada.

É a primeira vez que as construções são revitalizadas de acordo com o projeto do arquiteto Ramos de Azevedo (1851-1928).

“Removemos até vinte camadas de tinta para chegar à original”, diz o arquiteto Francisco Zorzete, da Companhia de Restauro.

A obra durou um ano e custou 5 milhões de reais. Abaixo, curiosidades do local.

 

Bibliotheca

Com “h” mesmo,o local (foto) preserva raridades de mais de 100 anos, como o registro da compra de camisas de força para menores infratores no século XIX.

Passagem secreta

No assoalho da “bibliotheca”, é possível observar a marca de corte de uma passagem subterrânea que levava a um cofre no qual o Tesouro do estado ficou guardado até o início do século XX.

Restauro

Na fachada de um dos prédios, foi descoberto um detalhe decorativo neoclássico do projeto de Ramos de Azevedo (1851-1928) que havia sumido ao longo dos anos por causa das várias pinturas.

Tecnologia

As construções passaram por um processo de escaneamento em 3D importado da Itália, pois uma das duas não possuía sequer a planta original; os desenhos passam a formar o acervo.

Publicidade