Clique e assine por apenas 6,90/mês

Polícia descobre rede de prostituição em karaokê de fachada no Bom Retiro

Doze mulheres chinesas eram mantidas no local para atender clientes

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 3 Jul 2019, 16h48 - Publicado em 3 Jul 2019, 16h35

A Polícia Civil descobriu nesta quarta-feira (3) um karaokê falso que servia de fachada para uma casa de prostituição no Bom Retiro, região central de São Paulo. Em operação desencadeada no número 669 da Rua Newton Prado, a investigação encontrou doze mulheres chinesas vivendo em condições insalubres, além de uma estrutura montada para atendimento de clientes.

Segundo a polícia, o logradouro era dividido em dois prédios. À frente, estava o karaokê no térreo e alguns dormitórios acima, onde as moças ficavam quando sozinhas. Ao fundo, um segundo edifício escondia quartos com uma estrutura mais apropriada, nos quais aconteceriam os programas.

O caso vinha sendo investigado havia pelo menos quinze dias pelo 2º Distrito Policial, no próprio Bom Retiro. Como os passaportes das moças estavam no local, mas não em posse delas, também será investigado o crime de cárcere privado, além de favorecimento sexual.

Pelo menos vinte pessoas acabaram encaminhadas ao DP para averiguação, entre as mulheres e outros envolvidos no caso. Como as mulheres não falam português, um intérprete fluente em mandarim está ajudando nas investigações das autoridades.

Publicidade