Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

As hipóteses da Polícia para causas da morte do ator Luiz Carlos Araújo

Corpo do artista, que ficou conhecido por papel na novela Carinha de Anjo, do SBT, foi encontrado em apartamento em São Paulo

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 14 set 2021, 19h12 - Publicado em 14 set 2021, 19h11

Após o ator Luiz Carlos Araújo, 43, ter sido encontrado morto em seu apartamento no sábado (11), a Polícia Civil da capital está investigando ao menos três hipóteses para tentar esclarecer a morte: suicídio, morte decorrente de uso de substância tóxica e até assassinato, de acordo com reportagem do G1. 

As circunstâncias em que o ator foi encontrado – sozinho, deitado com a barriga para cima sobre a cama, com um saco plástico preto na cabeça – são as maiores incógnitas que os policiais do 3º Distrito Policial (DP), Campos Elíseos, no centro, buscam solucionar. O caso está sendo investigado como morte suspeita.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública (SSP), a morte de Luiz Carlos só foi conhecida no sábado, mas seus amigos estavam tentando contato com o artista desde quinta-feira (9), sem sucesso.

A morte do ator ainda é um mistério, mas a investigação dos agentes está guiada em três linhas de raciocínio no momento. “O ator estava com um saco na cabeça. O que é estranho. Suicídio é uma hipótese. Morte provocada pelo consumo de algo também. E eventualmente homicídio”, disse o delegado Roberto Monteiro ao G1. Segundo Monteiro, a hipótese de latrocínio (roubo seguido de morte) já foi descartada, porque não há indícios de objetos faltantes do local.

Acredita-se, no entanto, que somente os laudos periciais irão apontar com precisão o que matou o artista. O Instituto Médico Legal (IML) produzirá o laudo necroscópico e o Instituto de Criminalística (IC) vai elaborar informações sobre a cena do local onde o cadáver foi achado.

As três hipóteses de morte trabalhadas pela polícia

Uma das vertentes de investigação é a morte provocada pelo consumo de substâncias. Na casa do ator foram encontrados remédios e suplementos alimentares, além de outras substâncias que vão passar por exames periciais para apurar sua composição química: se são tóxicas e se o ator as consumiu.

Também há a hipótese de suicídio, mas os parentes e amigos de Luiz Carlos ouvidos pela Polícia Civil não relataram qualquer sinal de tristeza ou depressão por parte do artista, o que seria um indicativo. Pelo contrário, o ator foi descrito como uma pessoa que gostava de cuidar da saúde, que praticava exercícios e era mais caseiro. Agora, os investigadores querem ouvir outras pessoas que se relacionaram com Luiz.

A hipótese de homicídio será apurada por meio de câmeras do apartamento do ator, que podem ter gravado algo que ajude na investigação. Entretanto, não há, até o momento, indícios de que alguém entrou no apartamento do ator e o matou. Os agentes não encontraram câmeras de segurança em frente ao prédio onde morava Luiz Carlos.

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade