Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Polícia encontra carro que atropelou a cicloativista Marina Harkot

O motorista que fugiu sem prestar socorro segue foragido

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 16 nov 2020, 10h56 - Publicado em 10 nov 2020, 10h48

O carro que atropelou a cicloativista Marina Harkot foi encontrado pela Polícia Civil na Rua da Consolação, no centro de São Paulo. O motorista, no entanto, segue foragido. O carro foi apreendido e encaminhado ao 14º DP.

Na segunda (9), a Polícia Civil identificou o dono do Hyundai Tucson da cor prata, com placa de Campinas, que atropelou a ciclista. Ele disse que o carro foi vendido em 2017.

Marina foi atropelada na avenida Paulo VI, na Zona Oeste de São Paulo, na madrugada do último domingo (8). A vítima não resistiu aos ferimentos e morreu no local. Mariana Braga, enfermeira e policial militar que estava de folga, passava pelo local logo após o crime e prestou assistência à jovem.

Marina era era cientista social pela USP (Universidade de São Paulo), cicloativista, pesquisadora de mobilidade urbana e foi coordenadora da Ciclocidade (Associação de Ciclistas Urbanos de SP), além de ter feito parte do Conselho Municipal de Trânsito e Transporte. Ela usava a bicicleta como seu principal meio de transporte.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

Continua após a publicidade
Publicidade