Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Bandidos cercam batalhão, atacam banco e promovem tiroteio no interior

A Polícia Civil diz que a ação criminosa tem ligação direta com as toneladas de drogas apreendidas nas últimas semanas

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 30 jul 2020, 11h16 - Publicado em 30 jul 2020, 10h34

Assaltantes cercaram um batalhão da Polícia Militar em Botucatu, no interior de São Paulo, e atacaram uma agência do Banco do Brasil durante a madrugada de quinta-feira (30). Houve intenso tiroteio. De acordo com a Polícia Civil, os bandidos podem ser integrantes do PCC, sigla de Primeiro Comando da Capital.

Segundo a corporação, a ação criminosa tem ligação direta com as toneladas de drogas apreendidas pela PM nas últimas semanas. A facção estaria, ainda de acordo com a polícia, tentando repor o dinheiro perdido.

É possível que o PCC tenha cometido o ataque em conjunto com uma quadrilha especializada em roubos a bancos. As investigações estão em andamento.

Durante a fuga, os criminosos se esconderam em uma área de mata na região da rodovia Marechal Rondon. Moradores ouviram tiros e explosões e vídeos foram compartilhados na internet.

Cerca de 30 e 40 assaltantes participaram do crime. Eles estavam fortemente armados e usavam máscaras e coletes à prova de balas. Dois policiais ficaram feridos na troca de tiros com os criminosos, mas não correm risco de morrer.

A Prefeitura de Botucatu pediu que os moradores da cidade “permaneçam em suas casas e não procurem possíveis pontos danificados pela cidade”. “[A medida é] para que isso não coloque em risco a segurança de todos e não interfira no trabalho das forças de segurança.”

Continua após a publicidade
Publicidade