Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

“‘Papai eu te amo’ vai ficar para sempre na minha memória”, diz pai de Gael

Felipe Nunes, pai do menino de 3 anos agredido e morto na manhã desta segunda (10), diz que guardará com carinho as lembranças boas com o filho

Por Redação VEJA São Paulo 11 Maio 2021, 19h13

Felipe Nunes, pai de Gael de Freitas Nunes, disse que guardará para sempre as últimas palavras do filho de 3 anos, morto nesta segunda-feira (10), para ele: “papai, eu te amo”. Gael disse a frase no domingo (9), pouco antes de ser entregue à mãe, suspeita de matá-lo no dia seguinte ao Dia das Mães. No momento, ela está presa preventivamente, indiciada por homicídio qualificado por meio cruel. A tia-avó da criança relatou, em depoimento à polícia, que ouviu barulhos e que a mulher já foi internada 4 vezes.

“Quando eu fui levá-lo para passar o final do Dia das Mães com a mãe, ele me abraçou, e falou ‘papai, te amo’. É isso que vou guardar”, disse ao G1.

O pai de Gael, que tinha como sonho de vida ter um filho, conta que não acreditava que a ex-mulher, suspeita de agredir a criança e provocar sua morte, pudesse fazer algo contra o filho, pois sempre demonstrou ser amorosa com ele.

“Eu espero que a justiça seja feita, caso ela tenha feito alguma coisa contra ele. Eu acredito que sim, mas não posso julgar. Espero que ela pague pela monstruosidade que fez com o filho dela. Na minha frente e na frente do ex-marido dela, ela sempre foi uma mãe carinhosa”, relatou.

O pai também contou como Gael era uma criança doce, alegre e simpática: “Gael era uma criança feliz e amorosa com todo mundo. Quando a gente andava na rua, ele saía abraçando todo mundo, mesmo sem conhecer. Já mostrava como ele era”.

Felipe é paraibano e disse que só mora em São Paulo por conta do filho. Ele trabalhava como motorista de transporte por aplicativo na cidade e disse que optou por trabalhar como autônomo para poder ter mais tempo com o filho e participar mais dos seus cuidados.

De acordo com o pai, o corpo de Gael vai ser enterrado no município de Prata, na região do Cariri da Paraíba, estado das famílias dos pais da criança. O corpo do menino deve ser levado para a capital do estado, João Pessoa, na manhã de quarta-feira (12).

+Assine a Vejinha a partir de 8,90.

  • Continua após a publicidade
    Publicidade