Clique e assine por apenas 6,90/mês

Muda clonada de árvore mais antiga da cidade será plantada

Dupla laboratório para reproduzir 'figueira-das-lágrimas'

Por Catherine Barros - 11 ago 2017, 18h18

Com cerca de 200 anos de história, a árvore mais antiga de São Paulo terá outra “irmã”. O mais conhecido exemplar
da figueira-das-lágrimas é datado da época de dom Pedro I, no século XIX. Localizado na estrada das Lágrimas, na região do Sacomã, ele servia como ponto de encontros e despedidas para quem partia a caminho de Santos. Com a urbanização, acabou esquecido.

Além dele, restaram apenas quatro representantes da espécie na capital. O botânico Ricardo Cardim e o designer Hugo França se juntaram para mudar esse cenário. Arrecadaram 30 000 reais com o leilão de uma peça de França na Design Weekend de 2015 e, com o dinheiro, contrataram o laboratório de clonagem vegetal da USP para produzir trinta mudas. Apenas uma sobreviveu, e deve ser plantada neste domingo (13), às 10 horas, na Praça da Paz, no Parque Ibirapuera.

Muda clonada da ‘figueira das lágrimas’, a árvore mais antiga da capital Diego Padgurschi/Estúdio Folha/Veja SP
Publicidade