Clique e assine por apenas 6,90/mês

“Fui convidado”, diz Major Olímpio sobre entregar medalhas ao Corinthians

Alvo de críticas, senador atribui reclamações a quem discorda de um de seus projetos de lei

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 22 Apr 2019, 16h08 - Publicado em 22 Apr 2019, 16h06

O senador Major Olímpio (PSL) reagiu nesta segunda-feira (22) às críticas motivadas por sua participação na cerimônia de premiação do Campeonato Paulista. “Fui e vou quantas vezes me chamarem“, rebateu o parlamentar.

No domingo (21), Olímpio foi um dos políticos que entregou as medalhas aos jogadores do Corinthians, time que se sagrou campeão na edição deste ano.

A atitude do senador foi bastante comentada nas redes sociais. Uma parte dos internautas reclamou que não se deveria misturar política com futebol. Confira repercussão:

Olímpio, porém, relata ter sido chamado pela Federação Paulista de Futebol (FPF). “Fui convidado. Sou senador. Represento o estado de São Paulo. Por que não ir a um final de campeonato?“, questionou.

Procurada, a federação não respondeu se convidou ou não o parlamentar até a publicação desta reportagem. Além dele, também estiveram na cerimônia o presidente da Assembleia Legislativa de São Paulo, Cauê Macris (PSDB), e o deputado estadual Delegado Olim (PP).

O político atribui as críticas aos membros das torcidas organizadas. “Sou autor de um projeto que determina o fim delas. As organizadas se transformaram em um antro de criminosos“, afirma. “Quem gosta de mim, gosta. Quem me odeia, me odeia com muita força e veemência. Respeito, mas não paro.

Continua após a publicidade

Publicidade