Clique e assine por apenas 6,90/mês

Ela é uma das pessoas que mais auxiliam o banco de sangue veterinário da USP

Doações de Cuca e Duque, cães da empresária Lucila Coelho, ajudam a salvar outros animais

Por Ana Luiza Cardoso - Atualizado em 27 dez 2016, 15h03 - Publicado em 28 out 2016, 23h00

Os bancos de sangue dos hospitais paulistanos vivem em constante estado de alerta por falta de doação. Muitos donos de pets não sabem, mas também existem reservas do tipo para bichos. E elas enfrentam o mesmo problema. Ao saber disso, por meio de uma postagem no Facebook, a empresária da área de tecnologia da informação Lucila Coelho resolveu agir. Em 2013, passou a levar sua labradora Cuca, hoje com 8 anos, para ajudar o laboratório de hemoterapia da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP. Em 2015, entrou também na ação do bem o boxer Duque, 3.

+ Amigos preparam hambúrgueres artesanais para crianças carentes

Moradora do Brooklin, a dona traz ainda dois cães de amigos para encher bolsas de 450 mililitros por visita. A cada três meses, período mínimo entre uma contribuição e outra, ela os coloca no carro e segue para a Cidade Universitária. Tornou-se uma das “doadoras” mais ativas dali. Durante o procedimento, de cerca de dez minutos, as mascotes ficam tranquilas, sem sedativo. A picada da agulha é dada no pescoço. “Quando acaba, eu as mimo com água de coco”, diz Lucila, que garante não se tratar de um processo penoso para os cães. “Faço isso para ajudar animais que sofreram acidente ou que passam por tratamento.”

Ações como essas são fundamentais para que continuem as cirurgias e os atendimentos no hospital da faculdade da USP. De acordo com a veterinária Denise Tabacchi Fantoni, o serviço recebe por mês trinta contribuições, número insuficiente para suprir a demanda. “Precisamos visitar canis, daqui e de outras cidades, para obter sangue”, lamenta. Os receptores pagam somente os custos dos procedimentos necessários para a coleta, em torno de 150 reais. Em relação às reservas para gatos, a escassez se mostra ainda mais grave.

Para doar, é preciso que o cachorro tenha entre 1 e 8 anos, esteja saudável e pese pelo menos 26 quilos. No caso dos felinos, eles devem ter no mínimo 4 quilos e até 8 anos.

Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP. Avenida Professor Doutor Orlando Marques de Paiva, 87, Butantã, ☎ 3091-1221. Seg. a sex., 8h às 17h.

Publicidade