Clique e assine por apenas 6,90/mês

Ex-aluna de escola em Suzano, deputada Kátia Sastre fala sobre massacre

Policial que ficou conhecida ao balear um assaltante na porta de um colégio na mesma cidade se manifestou no Twitter

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 13 mar 2019, 12h51 - Publicado em 13 mar 2019, 12h49

Por meio de mensagens enviadas por amigos policiais, a deputada federal Kátia Sastre soube na manhã desta quarta (13) do massacre na Escola Raul Brasil, no Jardim Imperador, em Suzano.

Estudei nesta escola minha vida toda! Isso é inadmissível!“, escreveu nas redes sociais. Horas depois, ela buscava passagens para visitar o local do massacre que deixou dez mortos e dez feridos após o ataque de dois atiradores.

A policial ficou conhecida no ano passado após reagir a uma tentativa de assalto na porta de uma escola na mesma cidade, realizada por Elivelton Neves Moreira, de 21 anos. Com isso, nas eleições de 2018, conseguiu uma vaga no Congresso com mais de 264 000 votos.

Abaixo, os tuítes:

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

Continua após a publicidade

No ano passado, Kátia passou por uma tentativa de assalto também em frente à escola onde sua filha estudava. Ela estava de folga, num evento do Dia das Mães junto com a sua filha, quando Elivelton tentou assaltar o colégio; a agente atirou no peito do criminoso que, apesar de socorrido, não resistiu ao ferimento. O vídeo viralizou e Katia foi homenageada pelo então governador de São Paulo, Márcio França, que lhe entregou flores.

Continua após a publicidade
Publicidade