Clique e assine por apenas 6,90/mês

Jovem Pan rebate acusações sobre afastamento de Marco Antonio Villa

"Jamais cedemos a pressões de governantes", afirmou a rádio paulistana em comunicado

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 30 Maio 2019, 17h11 - Publicado em 30 Maio 2019, 17h06

A rádio Jovem Pan se envolveu em uma espécie de rixa com Marco Antonio Villa, historiador e comentarista da emissora. Ele afirmou que foi afastado de sua funções porque a diretoria não estava satisfeita com a sua “leitura da atual conjuntura política”.

Inicialmente, a emissora chegou a dizer, por meio de nota lida ao vivo pelo apresentador Felipe Moura Brasil, que Villa estava de férias. O jornalista prontamente desmentiu a versão e mostrou um documento que comprovava seu afastamento devido a “readequações internas”. 

Presidente da rádio, Tutinha procurou a reportagem de VEJA SÃO PAULO e divulgou novo comunicado. No texto, a empresa afirma que prefere resolver este tipo de assunto internamente, que o governo não exerce nenhuma influência interna na empresa (havia um rumor de que Bolsonaro teria “pedido a cabeça” de Villa) e que o “respeito ao público impõe aos seus comentaristas limites que separam a crítica substantiva da adjetivação grosseira”.

Confira abaixo o comunicado completo:

“Confrontado com versões e rumores envolvendo um integrante do nosso quadro de profissionais, o Grupo Jovem Pan tem a comunicar o seguinte:

1. Preferimos restringir ao âmbito interno da empresa discordâncias entre funcionários e direção da empresa;

Continua após a publicidade

2. O Grupo Jovem Pan foi pioneiro na intensificação do debate político com a contratação de comentaristas com diferentes pontos de vista, que sempre se manifestaram livremente;

3. O apreço do Grupo Jovem Pan pelo convívio dos contrários – sem o qual não existe democracia real – é atestado diariamente pelo conteúdo da nossa programação;

4. O Grupo Jovem Pan jamais cedeu a pressões de governantes e nunca transformou a liberdade de expressão em moeda de troca;

5. Vale frisar que o atual governo federal não fez chegar ao Grupo Jovem Pan qualquer crítica ao desempenho dos nossos profissionais;

6. Fiel à própria história, o Grupo Jovem Pan seguirá orientado pelo amor à verdade e pelo respeito ao público, que vem homenageando esse comportamento com recordes de audiência e com a consolidação da credibilidade que merece um trabalho sério e sóbrio;

7. O Grupo Jovem Pan entende que esse mesmo respeito ao público impõe aos seus comentaristas limites que separam a crítica substantiva da adjetivação grosseira. Quando tal barreira é ultrapassada, cabe à direção da empresa aplicar medidas que garantam a volta à normalidade.”

Continua após a publicidade
Publicidade