Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Criminosos se passam pelo INSS e criam novo golpe com prova da vida

A ação consiste em usar meios digitais para obter fotos das vítimas; orientação é interromper o contato e bloquear o golpista

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 23 mar 2021, 15h14 - Publicado em 23 mar 2021, 15h13

Criminosos estão se passando pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) para aplicar golpes em aposentados e pensionistas por meio do WhatsApp. Através de mensagens, eles convencem a vítima a fazerem a “prova da vida”.

De acordo com o próprio instituto, a atuação dos golpistas acontece da seguinte maneira: é feita uma ligação ou uma mensagem é enviada solicitando a foto de um documento para finalizar o processo de comprovação de que a pessoa está viva. Atualmente, esta prova do INSS está suspensa até o dia 31 de maio. 

Com os dados em mãos e a foto da pessoa, os criminosos podem solicitar cartão de crédito ou abrir conta digital, por exemplo, para receber dinheiro em nome do segurado, entre outras atividades fraudulentas.

O Instituto afirma que nunca entra em contato através de aplicativos de mensagem, telefone ou SMS. Caso seja alvo e perceba a tentativa de golpe, a orientação é de não passar nenhuma informação, desligar o telefone imediatamente em caso de ligação ou interromper o contato via mensagens. Também é orientado bloquear o número nas duas situações, se possível.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90

  • Continua após a publicidade
    Publicidade