Clique e Assine a partir de R$ 12,90/mês

Herdeira de grupo de transportes morre em incêndio nos Jardins

Liliane Chieppe tinha 54 anos

Por Redação VEJA São Paulo Atualizado em 31 jan 2017, 14h40 - Publicado em 31 jan 2017, 13h24

A empresária Liliane Chieppe, de 54 anos, herdeira da empresa de transportes do Grupo Águia Branca, do Espírito Santo, morreu na tarde desta segunda (30). Segundo informações da Secretaria de Segurança Pública, ela estava trancada em seu quarto no apartamento no sexto andar do prédio na Rua Tatuí, nos Jardins, quando começou um incêndio no cômodo.

Funcionários procuraram a chave reserva, tentaram arrombar a porta, mas não conseguiram. Eles chamaram o Corpo de Bombeiros por volta das 14 horas. Liliane primeiramente foi levada para a Santa Casa de Misericórdia, na Vila Buarque, no centro, com sintomas de parada cardiorrespiratória e crise nervosa. Depois, foi transferida para o Hospital das Clínicas, onde faleceu.

O caso está sendo investigado no 78º DP, registrado como incêndio culposo e morte suspeita. Ela era filha de Vallecio Chieppe, um dos fundadores do grupo.

Ainda não há informações sobre o velório. Familiares se deslocaram para São Paulo para tomar as providências necessárias.

Continua após a publicidade
Publicidade