Continua após publicidade

Hospital pagará R$ 70 mil a família de paciente com câncer que pegou Covid

Sem isolamento correto, homem que estava tratando leucemia ficou na mesma sala que paciente de Covid por dois dias, foi infectado e morreu

Por Redação VEJA São Paulo Materia seguir SEGUIR Materia seguir SEGUINDO
Atualizado em 5 out 2022, 12h06 - Publicado em 5 out 2022, 12h04

O Tribunal de Justiça de São Paulo condenou um hospital particular do Centro da capital ao pagamento de 70 000 reais de indenização por danos morais a família de um paciente com câncer que pegou Covid-19. Segundo o processo, a instituição não isolou corretamente as pessoas infectadas na enfermaria das que não estavam infectadas.

Em março de 2021, o homem estava internado em razão de um tratamento de leucemia, e enquanto se recuperava de uma sessão de quimioterapia na enfermaria, um outro paciente com sintomas de Covid foi recebido no mesmo quarto, e os dois ficaram no mesmo ambiente por dois dias. O paciente com câncer então foi diagnosticado com a doença, e morreu dias depois por complicações relacionadas ao coronavírus.

+ Mulher cai em golpe e perde R$ 208 mil achando que namorava Johnny Depp

A família acionou a Justiça, afirmando que o hospital não adotou um protocolo correto que impedisse o contato de uma pessoa com o sistema imunológico frágil com pessoas infectadas pela Covid. O desembargador Alcides Leopoldo, relator do caso, destacou que os pacientes oncológicos, por serem imunossuprimidos, “dependem de cuidados especiais por parte da equipe médica, de modo a evitar contato com outros pacientes, em especial aqueles portadores de doenças infectocontagiosas, tendo em vista o enfraquecimento do sistema imunológico”, e ainda lembrou que justamente por isso pacientes imunossuprimidos foram vacinados antes da população em geral.

Continua após a publicidade

“O nosocômio deve estar preparado para o manejo clínico adequado dos pacientes com suspeita de infecção pelo coronavírus, o que foi amplamente divulgado por órgãos técnicos especializados e pelo Ministério da Saúde”, acrescentou o magistrado, que foi acompanhado por unanimidade pelos demais juízes.

Publicidade

Essa é uma matéria fechada para assinantes.
Se você já é assinante clique aqui para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Domine o fato. Confie na fonte.
10 grandes marcas em uma única assinatura digital
Impressa + Digital no App
Impressa + Digital
Impressa + Digital no App

Informação de qualidade e confiável, a apenas um clique.

Assinando Veja você recebe semanalmente Veja SP* e tem acesso ilimitado ao site e às edições digitais nos aplicativos de Veja, Veja SP, Veja Rio, Veja Saúde, Claudia, Superinteressante, Quatro Rodas, Você SA e Você RH.
*Para assinantes da cidade de São Paulo

a partir de 49,90/mês

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.