Clique e assine por apenas 6,90/mês

Governo de São Paulo coloca todo o estado na fase amarela

As reclassificações, que antes eram feitas a cada duas semanas, serão mensais

Por Redação VEJA São Paulo - Atualizado em 11 set 2020, 15h48 - Publicado em 11 set 2020, 15h36

A classificação das regiões no Plano São Paulo foram atualizadas nesta sexta-feira (11) pelo governo de São Paulo. Todo o estado está agora na fase amarela, terceira etapa do plano que regula a reabertura gradual das atividades econômicas durante a pandemia do coronavírus. 

Na penúltima atualização, Franca e Ribeirão Preto eram as únicas regiões na fase laranja. As duas passaram para a amarela e nenhum retrocesso foi registrado. Hoje é a primeira vez que todo estado está na fase amarela. 

As regiões podem evoluir mais uma etapa caso seja alcançado uma estabilidade de 28 dias. A próxima fase, verde, permite eventos, convenções e atividades culturais com público em pé. 

O governo também anunciou que as alterações do Plano São Paulo para evolução de fase passarão a acontecer uma vez por mês. Anteriormente, era permitido que as mudanças fossem feitas a cada duas semanas. 

Governo de São Paulo/divulgação/Veja SP

Como todo o estado está agora na fase amarela, nenhuma região muda para a fase laranja pelo menos durante os próximos 30 dias. A menos que a piora seja muito grande: a região irá diretamente para a fase vermelha. “Se houver piora significativa dos indicadores, manteremos a regra de rebaixamento imediato para a fase vermelha em qualquer região do estado. Não haverá retorno, portanto, para a fase laranja, o que aumenta a responsabilidade de prefeitos, prefeitas, e da própria população”, explicou o governador de São Paulo, João Doria.

O coordenador do comitê de Saúde estadual, José Medina, reconheceu que a mudança no critério do Plano São Paulo pode fazer com que regiões permaneçam no estágio amarelo mesmo com piora. “As atividades do amarelo são atividades que propiciam uma atividade econômica mais estável, então nós entendemos nesse momento que é possível fazer isso porque, mesmo que aconteça uma região que fique mais próxima da fase laranja do que da fase amarela, isso vai ser diluído na população do estado todo”, justifica o coordenador. 

Essa foi a quarta reclassificação após João Doria alterar as regras do Plano São Paulo para facilitar a reabertura econômica do estado. A modificação permitiu que as regiões fossem para a fase amarela com menos dificuldade.

+Assine a Vejinha a partir de 6,90 

Continua após a publicidade
Publicidade